Vida longa ao Mercado

Enquanto um ano passa, outro chega para renovar as energias e esperanças do nosso Mercadão. Cada frequentador possui diferentes histórias e modos de se relacionar com o local. Mas os votos de uma vida longa e próspera para o Mercado une a todos para desejar um feliz aniversário.

 

Maria Rossal e Julia Monteiro

“Eu frequento o Mercado toda semana”, já se adianta a dizer Maria Rossal. A porto-alegrense é coordenadora do Boquinha, projeto infanto-juvenil integrado ao Jornal Boca de Rua. Ela e Julia Monteiro, integrante do Boquinha, estavam esperando os demais colegas para um passeio de Dia das Crianças. “O Mercado faz parte da minha vida. Eu gosto do cheiro, do movimento, da comida, do encontro — todos os encontros que eu preciso marcar no Centro, eu faço no Mercado. Agora eu marquei com as crianças o passeio do Dia das Crianças aqui, perto do Bará”, conta Maria.

Triste com o fato de o segundo piso estar fechado, Maria deseja ao Mercado um futuro de mais esperança e união. “Acho que os governos estão tratando a situação com total descaso e falta de respeito, inclusive para com o cidadão. Mas eu desejo que o Mercado continue sendo um ponto de união. Acredito que é no coletivo que conseguiremos mudar as coisas. Parabéns ao Mercado!”

 

Michele Pontes e Etili Pontes

Etili e Michele são mãe e filha que passeiam juntas no Mercado sempre que podem. “Mesmo na corrida, a gente está sempre aqui procurando o que precisamos. Não é aquela frequência constante, mas, se pudermos fazer nossas compras aqui, não deixamos de vir”, conta Etili. Ela é de Porto Alegre e diz que vai ao Mercado há mais de 40 anos, sempre buscando produtos diversos, desde frutas e ervas até artigos religiosos.

“Para mim, é sempre uma novidade vir ao Mercado. Depois que houve o incêndio, a gente vê que as coisas estão mudando aos poucos — a gente sente a diferença. O meu desejo para o Mercado é que o segundo piso volte logo e que as coisas continuem como eram antes, ou até melhor. Todos merecemos”, finaliza.

 

Célia Miranda, Jane Oliveira e Filomena Nunes

As irmãs de Célia, Jane e Filomena, vieram de São Paulo a passeio e, logo que chegaram a Porto Alegre, não demoraram para ir visitar o Mercado de todos os gaúchos. Filomena fala das suas impressões sobre Mercado, as quais as suas irmãs afirmam também compartilhar. “Gosto muito do Mercado de Porto Alegre. Ele mostra bem a personalidade do Rio Grande do Sul, com toda a sua variedade de produtos. Eu, como turista, quando venho aqui, quero encontrar a comida local, a roupa, os costumes, e o Mercado Público de vocês ainda conserva isso”, comenta. “A gente visita outros mercados pelo país que mais parecem shoppings made in China. Aqui, realmente, é o Mercado Público do povo gaúcho. Eu deixo os parabéns, sucesso, e que ele amplie para trazer coisas mais bonitas para a gente.”

 

 

COMENTÁRIOS