Verão para todos os gostos no Mercado

Verão para todos os gostos no Mercado

Happy hour, sorvetes, almoços leves, frutas, produtos naturais, suplementos alimentares, peixes, carnes, especiarias, cervejas comuns ou especiais, o Mercado é parada obrigatória no verão. Aproveite!

 

O Mercado no seu roteiro de verão 

São muitas as opções que você tem no Mercado para o verão. Pode tomar aquela geladinha nos seus muitos bares e restaurantes, provando seus petiscos num animado bate-papo com amigos. Ou, quem sabe, um bom e proveitoso almoço: a culinária aqui é muito variada, indo do tradicional à la minuta a pratos italianos, gaúchos e até a cozinha oriental, hoje em alta no Mercado. É bom lembrar que os bares e restaurantes, inclusive os da área de alimentação provisória, no térreo, ficam abertos até as 22h, para quem gosta de esticar o happy hour. O importante é que, dos mais tradicionais aos mais simples, o Mercado é um mundo de novidades para quem quer curtir este fim de verão. E é também uma ótima opção, com suas várias bancas de confeitos, para fazer doces, sorvetes e salgados para vender, como uma forma de ter uma renda extra.

 

Foto: Thaís Marini Maciel 

 

Restaurantes, bares e sushis

 

Bar e Restaurante Havana: bolinho de bacalhau e chope, servidos o dia todo – uma boa dica.

Restaurante Gambrinus: peixes leves, saladas, bolinhos e salada de bacalhau, chope bem gelado, cervejas artesanais (Coruja e Rasen), sanduíche aberto, pastéis – carne, camarão, queijo –, essas são algumas das atrações do famoso Gambrinus.

Restaurante Pires: conhecido por manter o mesmo cardápio o ano todo. Destaque para o peixe da casa.

Taberna 32: chopes, picadão de quatro queijos, tainha grelhada com camarão e picanha são algumas das atrações.

Bar 26: o tradicional chope do happy hour é o destaque. Além dos pratos conhecidos da casa, uma promoção de verão: pizzas na pedra de R$ 40 por R$ 28,90.

Mamma Julia: cerveja Heineken e os pratos tradicionais: tainha na telha com camarão e peixes para este verão. Também bolinho de peixe e de bacalhau e pastéis feitos na hora são muito pedidos.

Restaurante Sayuri: como diz o seu proprietário, Francisco Nunes, a comida japonesa é mais light, com menos tempero. “Não pesa tanto como nossa comida brasileira”, explica, destacando o sushi e sashimi. Confira os yakisobas.

Bar Chopp Naval: um dos espaços mais tradicionais, com mais de 100 anos, reformado recentemente, além de seus pratos, é muito procurado para uma boa conversa no fim da tarde, saboreando chopes da Stella Artois.

Sushi Seninha: destaques para o combinado Seninha Especial, que leva gorgonzola, skin (pele de salmão) e molho tare; temaki Nova Iorque, com shimeji, selado no maçarico, uma opção para quem não gosta de crus. Também destaca-se o temaki Seninha, que leva salmão e palha de alho poró.

 Fotos: Letícia Garcia

Foto: Thaís Marini Maciel 

 

Temakeria Japesca: o que tem mais saída na casa é o temaki Filadélfia, mas a novidade do verão foi o temaki sem arroz, criado a pedido dos clientes – leva salmão, atum ou outro peixe branco. Para o inverno, a casa promete novidades.

Bar Essencial: o pioneiro das cervejas especiais no Mercado Público, com seis torneiras de chopes, sendo duas delas com os estilos mais refrescantes, Pilsen e Weiss, bons para harmonizar com sanduíches, carnes brancas e saladas, da qual a casa é pródiga. Rodrigo Tomasel, o proprietário, também realça a forte produção cervejeira gaúcha, informando que o Essencial procura valorizar a produção local.

Bar Santos: um dos mais antigos e que não passou pela reforma dos anos 90, mantendo características originais do próprio Mercado. Cervejas e cachacinhas com ervas são o seu forte.

Bar e Restaurante Santa Cruz: um dos mais populares, com pratos rápidos, muitos petiscos e cervejas geladas. Caracteriza-se pelo bom atendimento dos irmãos Marcos e Marcelo

Bar e Restaurante Gaúcho: lanches e culinária em geral, mas com destaque para alguns pratos gaúchos e pratos do inverno, como mocotó.

Bar Embaixador: outro restaurante muito popular do Mercado, principalmente no almoço, com seus pratos mais simples e reforçados.

Estação Pastel: como o nome já diz, o forte da casa são os pastéis feitos na hora, com massa caseira. São mais de 30 sabores.

Lancheria Metrô: tradicional em comida caseira, com seus almoços e lanches rápidos.

Restaurante Castelo: tem como produtos principais, almoço e lanches, com destaque para o à la minuta, a especialidade da casa.

Lancheria Luz: fundada em 1966, conhecida por seus pastéis feitos na hora. Especializada em lanches, como xis camarão, xis bacalhau, xis siri, xis gaúcho, pastéis de camarão, siri, bacalhau e outros. A lancheria trabalha muito com sucos, mais de 15 sabores, inclusive com frutas exóticas, e no verão principalmente no “detox”, sucos verdes desintoxicantes, como laranja couve, hortelã, maçã – todos feitos também na hora.

  

 Fotos: Thaís Marini Maciel

 

Sorvetes

 

Banca 40: uma das mais tradicionais (e movimentadas) do Mercado, com mais de 80 anos. Bomba Royal e banana split são as campeãs de vendas no verão. Além disso, mais de 20 sabores de sorvete. A salada de frutas tem muita saída, principalmente com nata. Sanduíches, quiches, empadas também fazem sucesso. A banca tem projeto de investir cada vez mais em sorvetes de fruta.

Beijo Frio: o forte é o sorvete artesanal, mas também tem salgados, como empadinhas, pão de queijo, além de sucos, café e chás. 

 Fotos: Thaís Marini Maciel

Cafés e padarias

 

Café do Mercado: as sensações do verão são o freddo (um café preparado a frio, que descansa por 12 horas para ganhar a consistência certa, bem forte) e os shakes gelados. Também cafés gelados, como o cappuccino, e sodas de menta e maçã verde estão disponíveis. Para acompanhar, tortas, como a cheesecake com frutas vermelhas, e sanduíches naturais.

 Bar e Café Pan-Americano: com uma tradição que já vem de 1960, o lugar, há pouco tempo reformado, tem opções em cafés, lanches, bebidas e almoço.

 Padaria Copacabana: uma das mais tradicionais, além de pães quentinhos, tem uma infinidade de doces, tortas, bolos, salgados, sucos, lanches rápidos, como torradas, xis, cachorro quente, sanduíches tradicionais e muitos outros, além de pratos quentes.

Padaria Pão de Açúcar: no verão o que mais sai é salada de fruta com sorvete, o prato Tropical, com frutas, peito de frango grelhado ou filé de peixe, presunto, queijo e suco de laranja natural. Também sanduíches naturais, em pão branco, preto ou mesclado. De doces, o imperial, a torta de nata com morango e creme e o mil folhas.

 Fotos: Thaís Marini Maciel

 

O verão como fonte de renda

 

Gueno: no verão o forte da banca são produtos para sorveteria em geral, sacolé, coberturas, potes e outras embalagens. Pó para sorvete tem em várias opções, de 100 gramas, de quilo – e em qualquer uma delas, sai bastante, informa Ingrid Kilanowski, funcionária. Uva, morango, melancia, chocolate branco, cremes de ovos são os sabores que mais saem.

Comercial Martini: O forte no verão, informa a proprietária Adriana Kauer, são os pós e acompanhamentos para sorvete, para quem gosta de fazer em casa, inclusive para vender. Ela diz que a “modinha” deste ano foram as paletas (uma espécie de picolé recheado) à base de suco de frutas. A banca tem todos os instrumentos para a produção de doces, assim como todos os kits para sacolé, sorvete ou picolé.

Armazém do Mercado: diversos sabores de pós para sorvete, sacolé e picolé – leite condensado, chocolate e morango são os com mais saída. E mais todos os itens para os gelados: potes, copos, casquinhas e coberturas. O Armazém também já está em ritmo de Páscoa.

Armazém do Confeiteiro: tem entre os seus principais produtos frutas secas, naturais, doces, fôrmas, condimentos e fiambres.

Armazém 155: produtos para sorvete, sacolé e picolé. Geladinho, eles têm pronto. Palitos, saquinhos, fôrmas. Tudo o que precisar, com o kit completo. Também receitas de sorvete e sacolé, caso o cliente precise. 

 Foto: Thaís Marini Maciel

  

Grãos e alimentos naturais, verão mais saudável

 

Banca 12: uma das mais conhecidas do Mercado, trabalha com um variada linha de produtos para quem busca mais saúde, principalmente na sua alimentação.

Armazém Metropolitano: banca de suplementos e produtos naturais.

Macrobiótica Sauer: muito procurada pela sua imensa variedade de produtos naturais. Granola, iogurtes naturais e frutas secas são o forte do verão.

Banca 13: fundada em 1968, é uma das pioneiras na venda de produtos naturais e suplementos alimentares no Mercado.

Carel (Banca 48): outra banca especializada em suplementos alimentares, cereais, sacas de algodão e outros produtos naturais.

Banca 10: Muito conhecida por ter frutas exóticas, como pitaya, de gosto cítrico, originária da Colômbia, maracujá silvestre, mangostim e seriguela (da Amazônia), carambola, caju, cereja e outras mais raras. As da época são araçá, acerola, uva, pêssego, ameixa e destaque para a graviola – procuradíssima por suas propriedades contra o câncer. E sem esquecer o nosso tradicional abacaxi de Terra de Areia. A banca também tem polpas de frutas, como cupuaçu e açaí. Na 10 também são encontráveis uma grande variedade de verduras.

Banca 11: “O verão é tão rico que tudo sai bem”, diz Gessi Tomasi, a proprietária, acrescentando que sai tudo parelho, frutas tanto quanto verduras. As da época são pêssego, uva, ameixa e figo maduro, que saem muito. Observa, porém, que o abastecimento do sul depende muito da produção de São Paulo.

 

Saladas e frutas

São oito espaços, em tempos mais antigos chamados de “tomateiros”, que ocupam um dos corredores centrais do Mercado, comercializando verduras, legumes, ervas e raízes, com grande apelo popular: Box Tempero e Sabores, Box Ponto Certo, Box do Pereira, Box do Alemão, Box 2 Unidos, Box Bagé, Box do Tio Raul e Box Poliervas. Além deles, as bancas centrais de frutas.

 

 Fotos: Letícia Garcia

 Foto: Thaís Marini Maciel

 

  

COMENTÁRIOS