Tempos melhores para o Mercado

Prestes a completar 150 anos, o Mercado sobrevive ao tempo e às suas mudanças. Com o segundo piso próximo da reabertura, a população, agora, aguarda mais ansiosa do que nunca.

 

Carmem Ribeiro, Porto Alegre

“Eu sou natural do interior do estado. Entre idas e vindas, já são 10 anos que estou de volta a Porto Alegre. Sou uma assídua frequentadora do Mercado. Estou quase que diariamente por aqui. Durante todo o tempo em que estive morando em Porto Alegre, o Mercado fez parte da minha vida. A Banca 43 e a Macrobiótica Sauer são as minhas bancas preferidas. Costumo comprar queijos, nozes, castanhas e outras variedades de grãos. Gosto de ficar observando o movimento das pessoas. Aqui é um lugar de grande diversidade. Também vejo coisas erradas, as pessoas não cuidam do espaço. Não é difícil ver lixo sendo jogado no chão. O tempo passou e parece que as coisas pioraram. É triste ver os restaurantes naquele espaço tão pequeno, que não consegue abrigar quem trabalha e os clientes. Eu tenho uma filha que mora fora e, quando ela vem ao Mercado, percebe como está mal-cuidado. O segundo piso é um espaço muito bonito. Desejo que com a reabertura consigam fazer um bom trabalho lá em cima para as pessoas aproveitarem e movimentarem a cidade.”

 

Juliana do Couto, Porto Alegre

“Sou de Santa Maria e moro em Porto Alegre desde 1971 e, desde então, venho ao Mercado. Cerca de duas vezes ao mês venho para comprar produtos naturais, como cápsulas de berinjela com alcachofra, chás de graviola e cardamomo, e mais algumas coisas que encontro casualmente. Aproveito esse tempo para passear por aqui. Se comparar com o Mercado da época em que comecei a frequentar, agora ele está mais bonito e limpo. Adoro o segundo piso, pena que ainda não conseguimos transitar. Além dos restaurantes, eu gostava de acompanhar exposições que contavam a história do Mercado, da cidade.  Eu espero que, com essa mudança, a prefeitura preste mais atenção no Mercado e deixe ele mais bonito, assim como tantos outros mercados que existem pelo Brasil.”

Fotos: Fabiane Pereira

COMENTÁRIOS