Tem muito mercado há ser explorado no chocolate

Tem muito mercado há ser explorado no chocolate

 

*Chef Gabriel Rossi

O jovem chef de apenas 21 anos, professor de confeitaria e padaria, acha que as marcas brasileiras de chocolate estão bem avançadas em relação às estrangeiras, observando que há um aumento significativo no seu consumo. “O chocolate, assim como o vinho, é bom para nossa saúde, desde que em porções normais”, diz que ele, um apaixonado confesso pelo produto.

 

A inclinação para a área de gastronomia veio da família. Seu pai trabalha na área há 30 anos, mas a influência mais direta veio de uma prima que fazia ovos de chocolate. “Desde pequeno já mexia com comida. Eu acordava de madrugada para temperar chocolate com minha prima. Gosto de fazer receitas com chocolate pelo encanto que ele produz na receita, o aroma, a textura. Para mim o chocolate é um dos reis do pedaço na confeitaria”.

Harmonização

Café e conhaque já, na sua opinião, os elementos perfeitos para harmonizar com o chocolate. “O café pelo amargo e acidez, que combinam muito bem com o meio amargo. Experimente um expresso bem tirado com uma lasquinha de chocolate.Com a temperatura ela vai derretendo na boca. E o conhaque também já tradicional estar em trufas e bombons, parece que dá um limpada, tira um pouquinho do álcool”. Particularmente, Gabriel gosto do chocolate amargo, com 70% de cacau. Quanto mais cacau, menos gordura, por isto o chocolate também é mais duro. Na sua opinião quanto mais amargo, mais puro. “Mas é uma questão de paladar”, acrescenta. Uma alternativa é o blend, uma mistura do meio amargo com o ao leite. “Dá um balanço”, diz.

Como fonte de renda

Se tivesse mais tempo, diz o chef, ele se dedicaria mais à produção de produtos derivados do chocolate. Vê como promissor o mercado enquanto geração de renda. “O chocolate tradicional teve um crescimento no consumo por causa das datas festiva e muito gente começou a fazer em casa para vender nas empresas onde trabalham, por exemplo. A renda é de 100%”, aponta ele. O que ele dectata é que há muito mercado ainda a ser explorado no mundo chocolate. Neste sentido ele constata que o chocolate ainda é está muito vinculado ao doce “Ele pode ser hamornizado com pratos salgados, com vinagrete ou comer com uma salada ou com molho de cacau. Vale investir no agridoce”, sugere.

Páscoa e Mercado

Para a páscoa, sugere trufas, bombons, barrinhas, pirulitos, cascata de chocolate, espetinho de frutas e fondue. E, como não poderia deixar de ser, está muito associada à família. “O que esperar de uma páscoa sem um chocolate?”, pergunta. Lembranças de páscoa? Para um dia que nunca vai esquecer foi quando era criança e acordou e desde a cama a casa estava toda com pegadinhas do coelhinho. “Tinha chocolate em todos os lugares da casa, no armário, debaixo da cama”, recorda. O Mercado também faz parte da sua rotina. “Assim como as mulheres vão no shopping, eu vou lno Mercado também. Lá eu encontro tudo. Peixe, legumas, frutas secas. Para conhecer a cultura de uma cidade é só no mercado público, conclui ele

COMENTÁRIOS