Setembro 2013

A noite que comoveu a cidade

 

Quem resistiu a três incêndios, enchentes e até ameaças de demolição, também já está virando mais esta triste página da sua história.

 

Um grande incêndio destruiu parte do piso superior do Mercado, afetou bancas e estabelecimentos do primeiro andar e o seu funcionamento normal. Efeitos e danos, felizmente, menores do que se esperava. Perdas (algumas irreparáveis) e prejuízos afetaram em torno de 10% do Mercado. Mas, a resposta veio rápida: 38 dias depois, com grande mobilização de mercadeiros e autoridades municipal, estadual e federal, entidades e sociedade civil, o Mercado reabriu, ainda que parcialmente, no dia 13 de agosto, com 68 bancas e estabelecimentos funcionando.

O Jornal do Mercado, que vive e escreve a história do Mercado Público todos os dias, tinha certeza que, mais uma vez, o Mercado se reergueria, como nos sinistros anteriores. Com a sua reabertura parcial, ele já está voltando com mais ânimo e garra. Aos poucos, já estamos vendo o povo em volta das bancas buscando o peixe, a carne, os temperos, legumes e frutas, as especiarias, os doces, os pães, as velas, os alimentos e todas as gentes no necessário convívio nos bares, cafés e restaurantes. Primeira etapa vencida. Agora é a emoção de recomeçar, trabalhar e esperar pela sua volta completa. A vida segue!

 

 

Foto: Cristine Rochol/PMPA

COMENTÁRIOS