Regina Becker, primeira-dama de Porto Alegre. “O Mercado é referência de boas compras”

Regina Becker, primeira-dama de Porto Alegre. “O Mercado é referência de boas compras”

 

 

Ela frequenta o Mercado há muitos anos e tem uma estreita relação com ele. Recentemente realizou uma exposição, através da Secretaria Especial dos Direitos dos Animais, SEDA, para sensibilizar o público que frequenta o Mercado sobre a adoção de animais portadores de deficiência, que teve grandes resultados: dos 11 expostos, cinco já foram adotados. “Esta exposição fez a diferença, para nós foi fundamental. As pessoas tomaram conhecimento das imagens e fizeram contato. Foi uma alegria muito grande, o Mercado Público está de parabéns!” disse ela neste rápido depoimento, quando almoçava no Gambrinus.

 

O Mercado Público representa, para mim, o coração comercial de Porto Alegre. É a referência de boas compras, de encontrar pessoas queridas, com as quais a gente faz questão de manter relações, especialmente as que trabalham aqui e que no seu dia a dia fazem com que este local fique cada vez mais especial. Eu costumo frequentar e comprar há mais de 20 anos, desde a época que vim morar em Porto Alegre. O Mercado é um local onde  encontro produtos que gosto e que faço questão de manter na nossa geladeira. Peixes, iguarias, queijos especiais, azeitonas, frutas e legumes, pães integrais – a gente dá muito valor a produtos integrais. É um ponto turístico de Porto Alegre, os nossos amigos, quando vêm de fora, um dos locais que visitam é o Mercado, no mínimo para fazer uma refeição, tomar um cafezinho e levar uma recordação do Rio Grande do Sul.

 

 A importância da venda à granel

 

Conheço os mercados de Belém do Pará, de Montevidéu, de Buenos Aires, que hoje foi transformado num grande shopping comercial, e o Mercado Público da Cidade do Porto, de Portugal. Todos eles têm esta característica, de ser centro de referência de bons produtos. Esta configuração e disposição chama as pessoas. A melhor erva mate de Porto Alegre é vendida aqui. Temos o hábito de fazer chás de frutas secas e só aqui  tem, porque é venda à granel, que não existe mais. Nos outros lugares são todos embalados. Esta possibilidade de escolha só existe aqui, e faz com que a gente se sinta próxima das pessoas que vendem e do produto que a gente quer adquirir. Esta possibilidade da escolha é muito importante, porque geralmente é [a forma de comprar] é imposta. Eu preciso ter a liberdade do que vou comprar e quanto vou comprar.

 

 

Foto: Letícia Garcia

COMENTÁRIOS