Puerto Montt: Mercado de frutos do mar

Bem ao sul do Chile, próximo à Ilha de Chiloé, o refúgio de pescadores marca o início ou final da jornada. Depende da bússola do forasteiro que chega.

Na baía, maré baixa, barcos e escunas encalhados ou presos no lodo. Surgem estruturas de madeira, cor escura, construídas sobre pilotis; marcam o nosso destino. É instante mágico de descobrir os tesouros capturados naságuas gélidas do Pacífico Sul. O congrio rosa, a merluza negra, o salmão selvagem ou o criado em currais para peixes nas enseadas próximas; são os atores principais.Inteiros, cortados, retalhados, podem, ser comprados conforme a nossa vontade. Embalados a vácuo, defumados, a escolha é nossa.

Ostras, mariscos de todos os tipos, ouriços do mar, formas estranhas, cores assustadoras, sabores fortes, exóticos, preenchem as lacunas. Precisamos decorar nomes estranhos como o “piure”, o marisco vermelho e a “centolla”, o caranguejo gigante. Ouriços do mar — come-se a língua — têm cotação elevada; os japoneses são fanáticos consumidores das gonadas. Até o líquido interno é recolhido após a ruptura da armadura protetora. O curanto, — ensopado do sul do Chile —, preparado com peixe, galinha, marisco, porco, e verduras é o desafio. Para o turista a versão “light” é a indicada. O prato é pesado, gorduroso. Apenas algumas colheres de sopa e não há necessidade de se comer mais nada por alguns dias.

Sobre as palafitas, restaurantes estão preparados para a degustação posterior à nossa visita de inspeção. Tenha moderação para não ter surpresas desagradáveis. Vinhos brancos acompanham bem todas as tentativas e as provas de destemor. Ao nosso lado, marinheiro ou pescador, após passar toda a noite pescando, atraia a atenção. Iniciou o pedido com doze ostras, depois do curanto — duas porções —, do peixe grelhado com batatas, tudo acompanhado de duas garrafas de vinho, parecia em dúvida de qual seria o próximo prato. Madrugada, em barco pequeno, muitas horas lançando e puxando espinheis, devem abrir o apetite. Depois de tudo ainda temos o artesanato, as roupas de lã pesada, grosseira Os ventos austrais estão a nossa espreita. Relatos estão no ar.

COMENTÁRIOS