Programa de Alimento Seguro, a grande novidade do Mercado

Segurança Alimentar

 

Programa de Alimento Seguro, a grande novidade do Mercado

 

 

Já há algum tempo o Mercado Público vem investindo na sua qualificação, tanto na estrutura física, quanto no atendimento em suas bancas, principalmente a partir da parceria com o SEBRAE.  A questão segurança alimentar já contava com o pioneirismo do açougue Costelão do Mercado, que havia implantado o selo de certificação SIM, Sistema de Inspeção Municipal, tendo resultados imediatos.

 

 Agora o Programa de Alimento Seguro já é uma realidade no Mercado Público, atingindo nesta primeira fase oito peixarias e oito açougues. Os trabalhadores das bancas vão passar por um curso de 16 horas-aula, além de 240 de consultorias. Os objetivos são tratar dos cuidados básicos com os alimentos, principalmente de manipulação, refrigeração e envasamento dos produtos.

O processo é resultado de uma parceria que deverá ir até 2012, entre o SEBRAE, SENAI, Associação dos Permissionários, Jornal do Mercado e secretarias municipais de Saúde e Indústria e Comércio.  “Verificamos a necessidade de implantação do programa nesses estabelecimentos a partir de diagnósticos e reuniões com os empreendedores e as entidades parceiras. O objetivo é reduzir os riscos à população”, explica a gestora do projeto Mercado Público no Sebrae/RS, Andréia Diel. Segundo ela, sempre houve a preocupação dos empreendedores do Mercado Público com a segurança alimentar, mas a partir de agora, haverá orientação e certificação por uma legislação sanitária. Para Andréia, é importante que os clientes saibam que a dedicação dos empresários do Mercado vai além do alimento fresco.

Para o presidente da Ascompec, Gabriel Cunha, esse é o primeiro passo para a implantação do PAS em todo o Mercado Público de Porto Alegre. “O que está sendo feito aqui é histórico para o nosso Mercado. Nos coloca a frente, mais uma vez, na busca por qualificação”, afirma Gabriel.

Também está prevista a realização do programa com mercearias, fiambrerias, bares, restaurantes e bancas de hortifrutigranjeiros do Mercado, já no primeiro semestre de 2010. O objetivo é, também, proporcionar o aumento da competitividade e o fortalecimento das pequenas empresas, com a cooperação dos empresários e a profissionalização da gestão, melhorando a infra-estrutura e a qualidade dos produtos.

COMENTÁRIOS