Pratos de inverno, o quente do Mercado

Gastronomia

 

Pratos de inverno, o quente do Mercado

 

O inverno pede pratos quentes e bem temperados, sem falar dos vinhos tintos, de preferência. Aqui, fizemos um breve roteiro de alguns dos pratos mais concorridos nesta estação, em alguns restaurantes e casas do Mercado Público. Em muitas coisas se assemelham, em outras se diferenciam – mas todos tem em comum a qualidade dos ingredientes e temperos, todos comprados nas bancas do próprio Mercado. Bom proveito!

 

Carreteiro típico gaúcho da Lancheria Luz. Gostoso, tchê!

Um dos pratos mais tradicionais do Rio Grande, o carreteiro na Lancheria Luz vem ao estilo legitimamente “bagual”: “É carreteiro gaúcho, com a carne cortada à faca. Carne de primeira, coxão de dentro”, informa Geovane da Luz, um dos sócios da lancheria. Acompanha um autêntico feijão mexido, bem temperado, ao estilo gaúcho e tudo mais a que tem direito: temperinhos e queijo ralado. Mas se o vivente preferir, a casa também oferece Carreteiro de Charque – todos os dois feitos na hora, servidos por garçons sempre pilchados.

O carreteiro de carne sai a R$ 10.50 e o de charque a R$ 11.50. No inverno também é muito procurado “o tradicional mocotó da Lancheria Luz”, diz Geovane.

 

 

Mokinha do Café do Mercado: original e saboroso.

Café e inverno estão intimamente ligados. E no Café do Mercado, depois do café expresso, o mais pedido (e diferente) é o Mokinha. O segredo “é fazer com muito carinho”, diz a atendente Mirian. Mas os ingredientes são chocolate em pó puro, leite vaporizado e café expresso. Opcionais: chantilly e adoçantes, depende do gosto de cada um. Como acompanhamento, geralmente pão de queijo ou torradas. Outro campeão de preferência é o chocolate quente, vendido exclusivamente no inverno por razões óbvias. É feito de um pó especial para chocolate, misturado no leite em um copo próprio para este fim. Depois a chocolateira se encarrega de deixá-lo cremoso. Preços: Mokinha grande a R$ 3.20 e pequeno a R$2.70. Já o chocolate quente grande sai por R$ 4.80 e o pequeno a R$ 2.80. Se não conhece ainda, prove estas delícias.

 

Sopa de ervilha vegetariana do Telúrico: naturalmente saudável.

Com a crescente procura por alimentos e produtos naturais, a cozinha vegetariana também se apresenta como uma ótima opção para os dias mais frios. Único restaurante do gênero no Mercado, o Telúrico sugere, através de sua proprietária, Márcia Mascarello, uma Sopa de ervilha, acompanhada de geléia de pimenta, pãozinho (ou pão torrado, de ervas finas). Também acompanha o prato, gengibre (um antibiótico natural, ótimo no combate às gripes) em rodelas, ou como um ante-pasto, com azeite de oliva. Linhaça e gersal (digestivo e muito saboroso) também são ingredientes fundamentais na sopa. Segundo Márcia, no inverno as pessoas tendem a comer comidas muito pesadas. Por isto, diz ela, é essencial para todos a ingestão de líquidos e comer saladas e alimentos que contenham proteínas, como lentilha e grão de bico, por exemplo. E muitas hortaliças com raízes, tipo aipim e batata doce. E para esquentar mesmo sopas, consomês e condimentos quentes, como  canela, cacau, pimentas e gengibre.

 

Salmão com alcaparras do Gambrinus: um prato inspirado.

O garçom Jorge Bueno de Oliveira, o popular Vovô, está no Mercado há 46 anos. Só no Gambrinus são 44 anos. E é ele quem sugere um dos principais pratos da casa para este inverno, embora seja vendido o ano inteiro: Salmão com alcaparras e champignon à moda da casa. Trata-se de uma posta do peixe, grelhada, “bem altinha”, como diz Vovô, acompanhada de batata a vapor e arroz. Saladas? Pode ser de bacalhau como entrada, ou mista com palmitos. Vinho para acompanhar, um tinto seco, naturalmente. Para duas pessoas o preço sai por R$ 78,00, “especialíssimo”, segundo o veterano garçom. Vovô frisa que o forte do Gambrinus são os pratos com peixe, mas o centenário restaurante também serve rabada, carreteiro, feijoada, picanha e outras delícias.

COMENTÁRIOS