Patrono ou patrona da 63ª Feira do Livro de Porto Alegre será conhecido no próximo dia 11

A 63ª edição ocorre de 1º a 19 de novembro de 2017 e, entre os destaques da programação, estão Conceição Evaristo, Pilar del Río, Otavio Jr., Daniel Munduruku, Sergio Vaz, Ondjaki, Ricardo Araújo Pereira, Rosana Rios e Manuel Filho, entre dezenas de outros convidados.

                                                          Foto: Divulgação

 

Cintia Moscovich e Dilan Camargo, patronos das duas últimas edições da Feira do Livro de Porto Alegre - Jornal do Mercado

Cintia Moscovich e Dilan Camargo, patronos das duas últimas edições.      Foto: Luis Ventura

O patrono ou patrona da 63ª Feira do Livro de Porto Alegre será conhecido na próxima quarta-feira, 11 de outubro. A cerimônia de anúncio está marcada para as 9h30, na Sala Larisa, do Master Express Grande Hotel (Rua Riachuelo, 1070 – Centro Histórico – Porto Alegre/RS). O evento contará com a presença de autoridades, convidados, imprensa e patrocinadores. Cintia Moscovich e Dilan Camargo, ambos patronos das duas ultimas edições da Feira, também se farão presentes.

A indicação de um patrono ocorre desde a 11ª Feira do Livro de Porto Alegre, em 1965. O patrono inaugural foi Alcides Maya, jornalista e escritor gaúcho falecido em 1944. Por um tempo, a distinção foi concedida a autores falecidos como uma homenagem a sua obra e memória. Em 1989, já homenageando autores vivos, a 35ª Feira do Livro de Porto Alegre conheceu sua primeira patrona: Maria Dinorah. A partir de 1997, instituiu-se um sistema de eleição que conduziu ao posto Luiz Antonio de Assis Brasil, na 43ª Feira do Livro. Durante esse tempo já passaram pelo posto autores como Érico Veríssimo, Auguste Saint-Hilaire, Mário Quintana, Caio Fernando Abreu, Lya Luft, Barbosa Lessa, entre outros.

 

Confira abaixo quem são os autores patronáveis desta edição:

André Neves nasceu em Recife/PE, em 1973, mas atualmente reside em Porto Alegre/RS, onde trabalha pesquisando, escrevendo e ilustrando livros infantis. Estudou Artes Plásticas, é arte-educador e promove palestras e oficinas. Vencedor do Jabuti 2003 na categoria Ilustração de Livro Infantil e Juvenil, e do Açorianos de Literatura em 2004, 2006 e 2009. Conquistou o Selo Altamente Recomendável pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil e já integrou o Catálogo de Bolonha. É autor de “A Caligrafia de Dona Sofia”, “Obax” e “Tom”, entre outros títulos, além de ter ilustrado vários livros de outros autores. Foi patronável também em 2016, ao lado de Caio Riter e Luís Dill.

Caio Riter nasceu em Porto Alegre/RS, em 1962. Mestre e doutor em Literatura Brasileira, é professor e ministrante de oficinas de criação literária. Autor de obra extensa, dedicada principalmente ao público infantil e juvenil. Recebeu o Açorianos de Literatura em 2004, 2006 e 2009; o 1º Barco a Vapor em 2005; Prêmio Livro do Ano pela Associação Gaúcha de Escritores em 2005 e 2006, e Selo Altamente Recomendável pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Teve vários livros selecionados por programas governamentais e integrou o Catálogo de Bolonha. Foi patronável em 2016, junto com André Neves e Luís Dill.

Celso Gutfreind nasceu em Porto Alegre/RS em 1963. É escritor e médico. Autor de poemas, contos infanto-juvenis e ensaios sobre humanidades e psicanálise. Finalista em oito ocasiões, Celso recebeu o Prêmio Açorianos em 93. Agraciado cinco vezes com o Livro do Ano da Associação Gaúcha de Escritores. Também foi finalista do Prêmio Jabuti 2011 e escritor convidado do Clube de Escritores Ledig House em Omi (EUA), 1996. Como médico tem especialização em psiquiatria, psiquiatria infantil, mestrado e doutorado em Psicologia, realizado na Universidade Paris 13. Realizou pós-doutorado em Psiquiatria da Infância pela Universidade Paris 6. É psicanalista de adultos e crianças pela Sociedade Brasileira de Psicanálise de Porto Alegre. Atualmente, trabalha em consultório e como professor convidado no curso de Psicologia da Unisinos e UFRGS.

Luís Dill nasceu em Porto Alegre/RS, em 1965. Jornalista e radialista, pós-graduado em Literatura Brasileira. Vencedor do Prêmio Açorianos na categoria Conto pelo livro “Tocata e Fuga” e na categoria Juvenil pelos livros “De Carona, com Nitro” e “Decifrando Ângelo”. Recebeu o prêmio Livro do Ano da Associação Gaúcha dos Escritores na categoria Poesia com o livro “Estações da poesia”, foi terceiro lugar do prêmio Biblioteca Nacional na categoria Juvenil com o livro “O estalo”. Alguns de seus títulos receberam o selo Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Foi patronável em 2016.

Valesca de Assis nasceu em Santa Cruz do Sul/RS, em 1945. Cursou a Faculdade de Filosofia da UFRGS. É professora de História especializada em Ciências da Educação e ministrante de oficinas de escrita criativa. Estreou como escritora em 1990, com a publicação de “A Valsa da Medusa”. “Harmonia das Esferas” foi vencedor do Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Artes e Prêmio Especial do Júri da União Brasileira de Escritores, em 2000; indicado para o Prêmio Açorianos de Literatura, categoria Romance, em 2001. Prêmio Livro do Ano da Associação Gaúcha de Escritores, categoria Crônica, em 2003, por “Todos os Meses”. Foi também finalista do Prêmio Livro do Ano da Associação Gaúcha de Escritores, em 2009, categoria Infanto-juvenil, por “Vão Pensar que Estamos Fugindo” e Prêmio AGEs Livro do ano em 2017 pelo romance “A Ponta do Silêncio”. Indicada como patronável em 2015.

 

Lya Luft

COMENTÁRIOS