Parque Marinha do Brasil

A transformação do aterro da Avenida Praia de Belas em um parque na década de 1960 nasceu do desejo da população de reintegrar a cidade ao Lago Guaíba.

 

Entre os nove parques da cidade, o Marinha se diferencia por ser o mais voltado à prática de esportes. Sua área de 70,7 hectares conta com quadras de futebol de salão, tênis, vôlei, basquete, pistas de patinação, skate, atletismo, ciclismo e campo de futebol 7.

O seu projeto, assinado pelos arquitetos Ivan Mizoguchi e Rogério Malinsky, está ligado ao plano de urbanização da Av. Praia de Belas, iniciado em 1893. A Lei nº 3.071/67 conferiu ao parque a denominação de Marinha do Brasil, sendo inaugurado em 9 de dezembro de 1978.

A estrutura é composta de 11 hectares transformados em bosques, onde são encontradas árvores nativas e espécies exóticas, como ingás, canafístulas, timbaúvas, jambolão e jerivás. A fauna também não passa despercebida, com quero-queros, pica-paus do peito amarelo, sabiás, entre outros. Nos lagos, habitam cágados e peixes de diferentes espécies.

Durante a 1ª edição da Bienal do Mercosul, em 12 de outubro de 1997, o parque inaugurou o Jardim das Esculturas, primeiro e único na cidade. Formado por um acervo de 10 obras, o Jardim reúne esculturas de artistas latino-americanos, incluindo brasileiros. Todas as obras foram construídas utilizando materiais duráveis e doadas pelos seus criadores à Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul.

 

COMENTÁRIOS