HomeÚltimas Notícias

O Mercado pede atenção

O Mercado pede atenção

 

Sem uma empresa para fazer a manutenção dos espaços comuns, permissionários e frequentadores tem se deparado com um Mercado incomum. Os recentes problemas alertam para a necessidade urgente de manutenção.

 

A manutenção dos espaços de uso comum do Mercado Público, como os corredores e a rede elétrica, é feita por uma empresa contratada pela Prefeitura através de licitação. Em dezembro de 2012, o contrato com a empresa prestadora do serviço Gres terminou. Segundo Adriana Leão, da SMIC, antes do vencimento foi encaminhado o processo licitatório para contratação de uma nova empresa. Desde então, a licitação está em andamento, e o Mercado está sem uma empresa para fazer a manutenção. Enquanto os trâmites burocráticos correm, o Mercado enfrenta problemas diariamente. O mais recente é o vazamento de esgotos, fruto de entupimentos. Para essas manutenções emergenciais, enquanto não há uma empresa responsável, a SMIC pede auxílio dos órgãos da Prefeitura para resolver o problema. “Algumas coisas a SMIC está conseguindo resolver, mas eu sei de alguns casos de permissionários que não puderam esperar e fizeram por conta”, informa Paulo Göttert, da Ascomepc. Em outros casos, como o das tampas metálicas do esgoto que estão quebradas pelos corredores, é preciso esperar a licitação, já que isso requer compra de equipamentos. É o mesmo com o telhado e suas goteiras, preocupação constante do Mercado.

 

Manutenção

 

O vazamento de esgotos entupidos é o que está trazendo mais transtornos para o Mercado. O hidrojateamento, para limpeza dos esgotos, era feito pela empresa periodicamente. Sem essa manutenção, o entupimento tem sido mais frequente. Nas limpezas, junto com os detritos usuais do esgoto, a SMIC informa que outros materiais tem sido encontrados, que podem provocar esses entupimentos, como cabeças de peixe, panos, garrafas pet e gordura de carne. A responsabilidade da manutenção é da Prefeitura, através da contratação de uma empresa prestadora do serviço, e a necessidade disso é urgente. Mas também é preciso ter consciência do que está sendo mandado para o esgoto no dia a dia. “É extremamente importante que seja feita a manutenção, o hidrojateamento, mas também é importante que a gente tenha cuidado”, diz Paulo, da Ascomepc. “Acho que isso é uma via de duas mãos. Até porque o Mercado Público é nosso – não só do poder público, nem só dos permissionários, ele é de todos”.

 

Banheiros e vestiário feminino

 

Outra necessidade do Mercado são os banheiros do segundo piso, dois deles fechados há mais de ano. Adriana Leão, da SMIC, diz que todas as reformas já foram concluídas, e o que está impedindo a abertura é um problema com a empresa contratada, CCS. Por problemas com documentação com a Fazenda, a empresa não assumiu os banheiros, e, até que a situação se normalize, eles continuarão fechados.

Já o vestiário feminino está mais longe de ser entregue. A empresa Gres, que fazia a reforma, faliu e abandonou a obra. Pisos e paredes foram concluídos. Com a licitação em aberto, a SMIC busca um caminho para contratar uma nova empresa. “Mesmo a empresa tendo falido, tem que haver uma rescisão, tem que haver uma burocracia em cima disso”, diz Adriana.

Newer Post
Older Post

COMMENTS