O incêndio pelos mercadeiros

O incêndio pelos mercadeiros

 

Ninguém mais do que os próprios mercadeiros para sentir profundamente o incêndio e seus efeitos. Um misto de incredulidade e desespero tomou conta deles – tanto os mais atingidos, como aqueles que tiveram prejuízos menores, ou nem mesmo foram atingidos diretamente. Estes se mostraram, sobretudo, solidários com os que perderam tudo. Mais uma vez ficou claro o espírito de força, união e solidariedade que marca a grande família Mercado. Confira os depoimentos no dia seguinte à tragédia:

 

 

Belmiro Gomes Pires – Bar Restaurante Esporte

 “O meu sentimento é de ter acertado na loteria por ter não ter sido atingido. Fico até constrangido de fazer previsão para que o Mercado recomece logo a trabalhar, tendo alguns mercadeiros que não têm nem condições de se mexer nesse momento”

 

Joás da Silva Kaiper – Japesca

“Estava em casa, vendo o jogo. Em 10 minutos estava aqui. Com os equipamentos que tinham, os bombeiros fizeram o que puderam. Se tivessem mais condições, teriam controlado o fogo. A Japesca foi muito atingida por causa da água. Vai ter reforma aqui em baixo, mas o pior são os que sofreram perda total lá em cima. Minha expectativa é que a gente fique o menor tempo possível parado”

 

Josuel Santos – Banca 47

“Numa hora dessas o que passa pela cabeça é tristeza. Agora é tempo de dedicação à banca, com uma faxina geral, e esperar que volte o mais rápido possível.  Mas, por enquanto é esperar, e não adianta.”

 

Kelvin de Oliveira – Armazém do Mercado

“Estou há um ano no Armazém do Mercado. Fiquei impressionado, nunca tive uma experiência como esta. O sentimento que a gente tem é de angústia. Entrou água por tudo, teve bastante perda de produtos. Os próximos passos? É energia e retomada.”

 

Leandro Souza – Padaria Copacabana

“Temos um cliente há mais de 20 anos da Lancheria Caju, na Siqueira Campos, que providenciou remover os produtos da padaria para ir para as câmaras frias dele. E ele mesmo tomou a iniciativa, mandou o gerente vir buscar. Foi uma alta força, a gente teria um prejuízo muito grande. Sem palavras para agradecer. Agora precisamos da estrutura básica, água, luz e gás. Tem muito trabalho pela frente, vai ser muito complicado. Estamos com 72 funcionários parados. Ainda bem que a prefeitura e o governo estão muito empenhados”.

 

Thomas Paixão – Banca 47

“A sensação não é nada boa, todo mundo tem as suas necessidades. Daqui para frente não sei o que será feito, quanto tempo a gurizada vai ficar parada, se vão receber”.

 

Clóvis Althaus Junior – Café do Mercado

“A sensação é horrível, ontem (dia do incêndio) foi surreal. Mas parece que perto do que parecia não foi tão ruim para o Mercado como um todo. É claro que, para algumas lojas, foi um desastre total e temos que nos mobilizar para ajudá-las. Por enquanto estamos esperando para ver o tamanho do prejuízo”.

 

Daniel Josué de Souza – Banca do Holandês

“Estou me sentindo estranho, perplexo, dolorido, tudo difícil. Ouvindo hoje as notícias que só 10% foi atingido, acredito um pouquinho mais, fico feliz. Porque quem olhou pelas notícias da TV imaginava que era todo o Mercado, inclusive a parte do centro. Mas quando chegamos vimos que não era tão grande assim. Acredito que os permissionários vão dar as mãos, os governos vão ajudar. Muitas pessoas perderam tudo que tinham, e elas geram empregos, pagam seus impostos. Vamos torcer que os órgão façam o melhor possível. O importante agora é levantar a cabeça, batalhar, porque isto aqui é a nossa casa, o lar de milhares de trabalhadores, com família e filhos que dependem do Mercado”.

 

Jefferson Sauer – Banca 43

“Escorreu muita água lá de cima, a loja está bem inundada, mas as mercadorias estão intactas. A parte térrea hoje está em boas condições, pior foi ontem (dia do incêndio), quando nossas empresas, a bem dizer nossas vidas, estavam em chamas. A gente vai se organizar para a reabertura”.

 

Robson Franzen – Empório 38 

“O principal é reerguer o Mercado. Não é só trabalho, é cultura, são famílias que vivem daqui”.

 

Foto: Letícia Garcia

 

COMENTÁRIOS