Briane Bicca: O amor pelo Mercado no DNA

O amor pelo Mercado no DNA

Briane Bicca, coordenadora do PAC Cidades Históricas em Porto Alegre e do Programa Monumenta/RS

O Mercado é o ponto central da cidade, uma referência que está sempre presente, não só para os gaúchos, mas para todos os visitantes. Isso porque ele é um espaço de todos, de  acolhimento, e também um lugar onde se conhece a cultura do Rio Grande do Sul – quem chega a Porto Alegre nele tem a oportunidade de conhecer o caleidoscópio de que é formada essa cultura. Temos quatro bancas de cultura afro-brasileira, as bancas que vendem artesanato do Rio Grande, que vendem a erva do chimarrão, e assim por diante. E toda a população da região metropolitana que é servida pelo metrô também tem o Mercado como um ponto de confluência e uma referência para chegar à estação central. Ele e o seu entorno são animados desde às 5h manhã, quando começam a chegar os caminhões com os produtos e os feirantes, até meia-noite. Como ele é um patrimônio de Porto Alegre, do Rio Grande do Sul e até do Brasil, é querido por todos. No último incêndio, a presidenta Dilma Rouseff ligou na mesma madrugada para o prefeito José Fortunati e disse que a restauração seria bancada pelo Governo Federal através do programa PAC Cidades Históricas, com R$ 19,5 milhões. É a maior obra de restauração que temos aqui. A restauração está sendo bem sucedida e avançando rápido, e esperamos que para o próximo ano ele possa ser completamente aberto para todos os visitantes, principalmente para aqueles que mostraram muito apego ao Mercado, que choraram e se manifestaram lamentando o incêndio, mostrando o seu apreço, amor e memórias a respeito do Mercado. E o amor se faz pela própria recordação. Isso está entranhado no nosso DNA.

 

Love by the Market on DNA

Briane Bicca, coordinator of the PAC Historical Cities in Porto Alegre and Monumenta Program/RS

 

The Market is the central point of the city, a reference that is always present, not only for the gauchos, but for all visitors. That’s because it’s a place for everyone, with hospitality, and also a place where you know the Rio Grande do Sul’s culture – people who cames to Porto Alegre has in the Market the chance to know the kaleidoscope that our culture is made of. We have four african-Brazilian culture stalls, the stalls selling Rio Grande handcrafts products, the ones that sell the herb for chimarrão, and so on. And the people from metropolitan region (that is crossed by the trains) also has in the Market a reference point to reach to the central station. It and its surroundings are lively since 5am, when the trucks begin to arrive with products and merchants, until midnight. As it’s a Heritage of Porto Alegre, Rio Grande do Sul and even Brazil, it’s liked by everyone. At the last fire, President Dilma Rousseff called mayor José Fortunati on the same night and said that the restoration would be pay by the Federal Government through the PAC Historic Cities Program, with R$ 19,5 million. It’s the greatest restoration work that we have in here. It’s now being successful and quickly restored, and hopefully next year it can be completely open to all visitors, especially for those who were much moved about the Market, who wept and expressed their feelings during the fire, showing their appreciation, love and memories about the Market. And love is made by the memory itself. It’s deepseated in our DNA.

COMENTÁRIOS