No Mercado tudo é Copa do Mundo

 

No Mercado tudo é Copa do Mundo

 

O Mercado Público definitivamente está respirando Copa do Mundo. Bancas e restaurantes fizeram decorações especiais para prestigiar o grande evento futebolístico que teve início em junho, na África do Sul. Além das bancas e restaurantes, há telões espalhados nos altos do Mercado para que clientes possam fazer suas refeições e ao mesmo tempo acompanhar o espetáculo proporcionado pelas seleções.

 

Um dos pontos mais caris­máticos e históricos do centro de Porto Alegre não poderia ficar de fora do clima da Copa do Mundo. O principal centro gastronômico da capital gaúcha se fantasia de verde e amarelo. Rodrigo Tomasel, do restaurante Nova Vida, decorou o ambiente com bandeiras e dispo­nibilizou uma televisão para os seus clientes-torcedores. “O esporte mundial é o futebol e aqui no Brasil somos apaixonados por futebol, então eu criei um atrativo, fiz uma decoração legal no restaurante para atrair clientes, principalmente nos dias dos jogos. Estaremos com uma televisão transmitindo todos os jogos da copa, três por dia. Vamos passar em todos os horários e haverá alguma atração especial nos jogos do Brasil”, explica Rodrigo.

O Armazém Gueno também está com seu interior todo decorado e pronto para receber entusiasmados torcedores. Glademir da Silva Costa, gerente e balconista do Armazém, se entusiasma ao analisar os favoritos ao título. “Antigamente, claro a população tinha suas carências, e o futebol era uma maneira de ter um pouco de alegria, ter um pouco de motivação para transformação do país. Hoje em dia eles não veem por esse lado, pois o futebol virou um comércio, um produto”, comenta. Ele ainda fala da convocação de Dunga e dos postu­lantes ao título. “Achei que essa seleção não está com cara de seleção brasileira, mas com cara de time. O grupo está muito unido e isso pode fazer a diferença. O Dunga sabe o que pode tirar de cada um. Eu tenho três seleções, que são Alemanha, que sempre chega forte, Argentina que sempre tem uma aposta grande em cima dela, mas chega na hora eles decepcionam e Itália, que é sempre uma forte candidata”, analisa o gerente. O Armazém se revestiu de bandeiras para fazer parte dessa imensa torcida que se encontra no Mercado Público. Na Gueno, os clientes podem encontrar produtos para decoração e a tão polêmica vuvuzela. 

 

Decoração em ritmo de Copa

 

Para Nilmara Sueli Boldrini, gerente há 14 anos do café Pan Americano, o Mercado deveria ser melhor decorado em momentos como esse. Ela, que sempre decora o café em eventos, acredita na importância dos momentos festivos. “Os clientes gostam de ver tudo bem enfeitado. Eu também me sinto bem quando vou numa loja e está tudo enfeitado, por isso que eu procuro enfeitar. As pessoas gostam e elogiam. Todos ajudam, dão uma idéia aqui ali, até os próprios clientes. Quando eu não decoro, comentam a falta. As pessoas e fregueses passam e olham, tiram foto. É muito bom”, diz ela.

 

As figurinhas (nada difíceis) da Copa

 

O Restaurante Nova Vida viveu uma situação inusitada com o álbum de figurinhas da Copa. Tudo começou quando Luciano, da Banca 43, levou um álbum para Rodrigo. “A história do álbum de figurinhas começou com uma brincadeira. O Luciano, da Banca 43, entrou no restaurante com um álbum de figurinhas e me deu e eu sem agradecer, perguntei: mas só o álbum? E as figurinhas cadê? É aquela história, quem tem o dedo quer o braço inteiro”, conta ele. Luciano, diz Rodrigo, prontamente buscou um pacote de figurinhas, dando-lhe o álbum e o pacote de figurinhas. Rodrigo deixava o álbum em cima do balcão e diariamente vinha um e outro cliente que ficava olhando o álbum quase vazio. “Então eu dizia: traz o pacote para irmos colando. Vinha um cliente e trazia um, dois, três pacotes e foi assim que eu completei o álbum sem comprar um único pacote”, comenta o Rodrigo. O álbum completo agora é atração para os clientes do Nava Vida em dias de jogos.

 

                                                                                         

                                                                                     Nostalgia no futebol

 

Marcelo Fabian Gonzalves, argentino de Buenos Aires, torcedor do Boca Juniors, responsável pela Feiras dos Antiquá­rios que acontece no Mercado Público é um apaixonado por futebol. Ele reuniu um vasto material sobre as Copas do Mundo, principalmente sobre a Seleção brasileira. Revistas de época, selos, jornais é até uma tabela da Federação Uruguaia, preenchida a lápis de 1962, são algumas das raridades da exposição sobre as Copas do Mundo no Mercado. “Conseguimos resgatar alguma peças com alguns parceiros. Temos raridades aqui no meio, como o carnê de um associado, sócio do Grêmio e do Inter, do ano de 1956. Temos jornais do bi, tri, tetra e pentacampeonato da Seleção Brasileira”, diz Marcelo. Algumas raridades sobre a dupla Gre-Nal também podem ser encontradas na exposição, como a inauguração do Beira-Rio, além de discos de vinis temáticos, selos, revistas de 1958 com Pelé e Garrincha. “Temos aquela famosa manchete em que saiu a Xuxa e o Pelé. Também conseguimos um acervo da Federação Uruguaia de Futebol, de quem já foi presidente da Fifa” conta o colecionador. Da mostra também consta uma tabela preenchida à lápis, quando o Brasil saiu campeão em 1962.

Recentes
Antigos

COMENTÁRIOS