Museu de Arte do Rio Grande do Sul

Foto: Gabriela da Silva

Arte na praça

Uma das mais importantes instituições culturais do Estado, o MARGS conta com um acervo de 3.660 obras de arte que vão da primeira metade do século XIX até hoje, abrangendo artes visuais, como pintura, escultura, gravura, cerâmica, desenho, arte têxtil, fotografia, instalação, performance, arte digital, design, entre outros. A maior parte da coleção do Museu é de arte brasileira, com ênfase nos artistas gaúchos. Uma das mais imponentes edificações do Centro Histórico da cidade, foi construída em 1913 para funcionar como a Delegacia Fiscal. Foi projetada pelo arquiteto alemão Theo Wiederspahn, responsável por outras grandes obras do patrimônio arquitetônico da cidade. Foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 1981, sendo restaurado entre 1996 e 1998. Também possui um rico quadro escultórico, com ornamentos executados pela oficina de esculturas de João Vicente Friedrichs, tendo Alfredo Adloff como escultor responsável.

Histórico, Acervo e Associação

Tudo começou em 1957, provisoriamente no foyer do Theatro São Pedro, onde ficou por 16 anos, tendo Ado Malagoli como seu primeiro diretor. Mais tarde, ocupou uma sala em um prédio da Av. Salgado Filho. Através do então diretor Luiz Inácio Medeiros, transferiu-se para a sede definitiva na Praça da Alfândega. O Museu também conta com o Núcleo de Acervos, que trabalha com a sistematização, conservação e ampliação dos seus acervos. E como apoio, a Associação de Amigos do Museu de Arte do Rio Grande do Sul, fundada em 15 julho de 1982, sem fins lucrativos. O apoio da entidade é vital para o funcionamento do Museu. A associação promove acordos, parcerias e eventos, como cursos, congressos, seminários, debates, conferências e outras atividades.

 

Mais informações sobre a história, acervo e exposições do MARGS em www.margs.rs.gov.br

COMENTÁRIOS