Murano, Mercado de Cristais

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mercados do Mundo, por Felipe Daiello

 

A Veneza de Marco Polo convida para conhecer obras de arte no vidro e no cristal.

Apesar da concorrência chinesa, com produtos baratos e de qualidade duvidosa, a arte do trabalho no vidro e no cristal surge esplendorosa em Murano. Trazida da Síria pelos mercadores venezianos, as primeiras fundições instaladas na ilha principal, por precaução, devido aos incêndios, por ordem do Dodge foram transferidas para Murano e Burano.

Agora, os mais renomados artesãos, as fábricas principais, as exposições estão distantes de Veneza. Use o vaporeto ou a lancha rápida para fazer a visita e a provável compra. Aproveite o deslocamento para aquele piquenique. Não esqueça o vinho.

Obras de arte surgem nas vitrines, peças clássicas, projetos modernos aparecem em dourados ofuscantes, em prateados deslumbrantes, as cores do arco-íris estão presentes em adornos, em lustres; peças para decoração para todos os ambientes.

Não há problema no transporte. Os itens são embalados e remetidos para qualquer lugar do mundo. O seguro já está calculado – o argumento do nosso vendedor era convincente.

Quem chega de avião tem vista área global da laguna escondida com suas ilhas perdidas entre pântanos e o Mar Adriático.

Murano e Burano, minúsculas no tamanho, também apresentam visão menor da famosa Veneza. Nome mágico que atrai celebridades até hoje. Impossível morrer sem conhecer Veneza e suas ilhas. Ainda há tempo.

Mesmo as igrejas de Murano, desconhecidas dos turistas, apresentam quadros de pintores famosos da época dourada, quando Veneza, com suas naves, dominava as rotas comerciais do Mediterrâneo e do Adriático. Momento de descontração, de descanso e de ter obras de arte ao nosso alcance.

COMENTÁRIOS