Muitas novidades para o Mercado e seu entorno

Estacionamento chegando

 

Muitas novidades para o Mercado e seu entorno

 

   

      Ele aspira ver rodas de chorinho no Mercado, acha que a vocação e destinos do Mercado devem ser definidos pela sociedade e permissionários, espera investir bastante na limpeza do ambiente, acha que o quadrante do andar térreo deve ser discutido e modificado, assim como a demanda de novas mesas também deve ser estudada. Diz não ter posição quanto à abertura do Mercado aos domingos, mas insiste que o importante é a qualificação do Mercado como um todo e anuncia importantes alterações no seu entorno. Ele é Valter Nagelstein, o novo titular da Secretaria de Indústria e Comércio, um frequentador assíduo do Mercado.

 

 

     “É quase um lugar comum dizer que o Mercado Público é o local mais tradicional do comércio da cidade, histórico. Representa um marco, uma referência”, diz Nagelstein.  Ele tem muitos planos para o Mercado, entre eles o de trabalhar junto com a Associação no sentido de consolidar o MP como um pólo econômico e oferecer produtos e serviços diferenciados. “O desafio é a qualificação e buscar parcerias para isso, no sentido de ter um melhor atendimento, limpeza. O asseio é o nosso maior desafio”, diz. O novo secretário também informa que tem feito contatos com o DMLU e explica que uma das dificuldades está na questão de como é formulada a licitação, que tem como base o critério do preço mais baixo – o que não assegura qualidade.

 

 

     Estacionamento subterrâneo no Largo Glenio Peres

     Ele informa também que a prefeitura vem conversando com um grupo de empreendedores espanhóis para a construção de um estacionamento subterrâneo no Largo Glênio Peres, o que solucionaria em definitivo o maior problema do Mercado Público. Para o secretário isto também redundaria numa qualificação muito grande dos produtos e atendimento, uma vez que com o estacionamento também traria um público ainda mais qualificado para o Mercado. Ele também cita outros projetos no entorno do Mercado, que vão mudar significativamente o local. Começando pelo Projeto de Revi­talização do Cais do Porto, que vai incluir uma passarela  subterrânea, ligado o Cais ao Mercado. Aponta também a adoção do Largo da praça XV pela Coca-Cola, além das obras do Programa Monumenta. Mas as informações mais importantes se referem ao terminal da Praça Parobé, que deverá ser demolido. Na sua opinião a obra forma uma espécie de muro que prejudica o acesso ao Mercado. Ali também será reformado o merca­dinho de horti-frutigranjeiros, passando ao seu lado o corredor dos “ligeirinhos”, ou seja, ônibus que trarão ao centro passageiros com a instalação dos Portais. Tudo isto faz parte de um programa de revita­lização do Centro Histórico, da requalificação do Mercado Público, enquanto um ponto turístico e de comércio.

 

      A Copa do Mundo também é elemento propulsor dessa requalificação do Mercado. Para isto, Valter lembra que é preciso ir buscar os recursos do PAT, do SEBRAE, do SENAC, para treinamento e qualificar o atendimento e o manuseio dos alimentos. Se tudo se confirmar, sem dúvida o Mercado viverá novos e melhores tempos.

 

 

COMENTÁRIOS