HomeEspecial

Mercado Público, um marco de resistência

Mercado Público, um marco de resistência

 

A República ainda nem havia sido proclamada, assim como a escravidão também não tinha sido abolida, mas o Mercado já havia erguido suas paredes no distante 1869, em estilo neo-clássico. A aprovação do projeto original se deu entre 1862/63, tendo sido nomeada uma comissão do Conselho Municipal para acompanhar as obras. O projeto do engenheiro Frederico Heydtmann, previa um só pavimento. Em forma de quadrilátero, com torreões nas esquinas e um pátio central. Sempre sob a responsabilidade do poder público municipal, o Mercado logo tornou-se o maior e principal centro de abastecimento da cidade. Em 1871 tem início o calçamento do seu interior e dois anos depois, a arborização. Os primeiros açougues serão autorizados só em 1874, ano em que começa também a se cogitar a construção do segundo piso. Porém, o projeto não é levado adiante. Com o crescimento econômico, diversificação social e econômica do fim do século XIX, a proposta é retomada. Porém a verba aprovada pela Câmara Municipal é destinada apenas para a construção de chalés de madeira no pátio interno do Mercado. Mas, além de armazéns, tavernas, bares, açougues, fruteiras e restaurantes, o Mercado também possuía barbearias, hotéis, companhia de seguros e outros tipos de serviços.

COMMENTS