Mercado Público, roteiro de campanha

Mercado Público, roteiro de campanha

      O Mercado Público não é apenas referência de consumo ou passeio para chefes de cozinha, casais apaixonados, colegas de trabalho fazendo happy hour ou consumidores de restaurantes e bancas do dia a dia. É também visita obrigatória de candidatos a cargos políticos, em busca de votos, tanto de consumidores como de permis¬sio¬nários. Tarso Genro (PT) e José Fogaça (PMDB), e Yeda Crusis (PSDB), candidatos a governador do Estado e Dilma Rousseff (PT), candidata a presidente da república, foram as visitas mais recentes.

 

 

 

TARSO GENRO COMEÇA SUA CAMPANHA PELO MERCADO PÚBLICO

     Acompanhado do Deputado Estadual, Raul Pont (PT), e os ex-governadores Olívio Dutra (PT) e Alceu Colares (PDT), Tarso Genro (PT) esteve no Mercado Público dando, praticamente, início a sua candidatura estadual. O petista falou da administração do seu partido em governos anteriores em relação ao Mercado Público. “Nada como uma boa visita (aqui) para começar a campanha. Esse Mercado que foi reformado pelas sucessivas administrações populares que transformou isso aqui em um grande centro gastronômico, cultural e político da cidade. Então, começar por aqui, nos dá uma boa sorte e uma boa capacidade de mobilização com toda população que passa por aqui”. Tarso deixa uma palavra de otimismo para os permissionários do Mercado Público. “Eles tem que atentar para o que vai acontecer no Rio Grande. O que vai acontecer no Rio Grande, vai se somar ao que está acontecendo no Brasil. E isso significa pessoas com mais poder aquisitivo, significa mercado interno, significa mais compras e mais desenvolvimentos e os permissio-nários certamente têm interesse nisso”, conclui. 

 

 

JOSÉ FOGAÇA TAMBÉM EM CAMPANHA NO MERCADO PÚBLICO 

     O candidato da coligação, Juntos pelo Rio Grande (PMDB-PDT-PSDC-PTN), José Fogaça esteve no interior do Mercado Público cumprimentando permissionários e provando os verdadeiros sabores deste importante centro cultural e gastronômico da capital. O peemedebista estava acompanhado de Gabriel Antonio Mendo da Cunha, presidente da Associação do Comércio do Mercado Público Central (Ascomepc), e o diretor-geral do Departamento de Esgotos Pluviais (DEP), Ernesto Teixeira, o secretário municipal da Produção, Indústria e Comércio de Porto Alegre, Valter Nagelstein, e candidatos a deputados federais e estaduais. Fogaça falou da diversidades de produtos que podem ser encontrados no Mercado, e claro, do comprometimento dos permissionários em preservar a qualidade dos produtos. “Aqui, encontramos gerações e mais gerações comprometidas com a qualidade, com o alto nível dos produtos e com um grande respeito aos clientes. É o que atrai populações de todas as cidades do Rio Grande do Sul e até mesmo do país”, disse Fogaça. 

Foto: Nabor Goulart

 

 

YEDA CRUSIUS, CANDIDATA À REELEIÇÃO, ALMOÇA NO MERCADO

     A candidata e atual governadora Yeda Crusius conhece o Mercado antes e depois da reforma. Acha que ele melhora a cada dia e ao mesmo tempo mantém a sua tradição. “Modernidade convive com história e cultura”, disse ela em recente visita, para uma caminhada junto com o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra. Ela se mostrou contente de estar de volta ao Mercado e ao Gambrinus, para “comer meu peixe junto de amigos”. Yeda conversou com os donos da bancas, ouvindo suas histórias, ressaltou (e elogiou) a produção da cachaça gaúcha, hoje reconhecida nacionalmente e falou ao Jornal do Mercado: “Está tudo aqui, o que você procurar no Mercado, você vai achar. É um lugar único, eu não posso dizer mais do que isso: é um lugar único, cheio de alegria e onde o respeito é a palavra de honra do convívio entre nós”.   

 

 

DILMA ROUSSEFF PASSEIA PELOS CORREDORES DO MERCADO. 

     A candidata ao Governo Federal também passou pelo maior centro gastronômico do Rio Grande do Sul. Dilma Rousseff fez uma breve caminhada no interior do Mercado Público. Cercada por uma multidão e centenas de militantes petistas gritando seu nome, que ecoava pelos centenários corredores do Mercado, Dilma não pôde, em função da agenda, almoçar em um dos restaurantes do Mercado, limitando-se apenas aos tradicionais abanos e cumprimentos aos permissionários. 

COMENTÁRIOS