Mercado Público de Pompéia

Mercado Público de Pompéia

 

Das cinzas dois mil anos de história ressurgem; um dos mais antigos mercados do mundo é apresentado pelo Vesúvio

 

Felipe Daiello *

 

A erupção do Vesúvio, em 79 d. C., preservou para o futuro, algo que as escavações, efetuadas centenas de anos depois, agora, despertam a nossa curiosidade.

Junto ao Fórum, entre a Via Augusta e a via do Fórum, estava localizado o mercado de Pompéia.

As colunas de “Marcellum” sinalizam o local. Ativo comércio era ali desenvolvido no período romano, quando Tibério era o imperador.

Retirada a capa protetora das cinzas, a cidade começa a contar a sua história.

Para os viajantes, estrangeiros vindos de todo o Mediterrâneo, havia local para o câmbio de moedas.

Pompéia era famosa pelo Garum — tempero preparado com o peixe capturado na Baia de Nápoles e com o sal obtido nos pântanos e salinas da região; essencial no preparo das refeições. Artigo de exportação. Balanças para pesar peixes estão disponíveis; os vestígios comprovam o comércio.

Padarias surgem para explicar o processo usado na confecção do alimento da plebe.

No entorno, as ruas, com calçamento irregular, apresentam blocos de pedra colocados para evitar a circulação de carroças e bigas. Zona pietonável não é exclusividade das cidades modernas.

Para controlar a ganância dos comerciantes, sistemas de pesos e de determinação dos volumes vendidos surgem em placa de mármore junto ao Fórum. Julgando-se prejudicado, o consumidor poderia solicitar a intervenção do centu­rião responsável pelos direitos do consumidor.

Outra característica, típica das cidades romanas, são as estalagens dispostas em esquinas estratégicas. Ali os passantes poderiam adquirir refeições quentes e vinhos adequados. Bilhas de cerâmica, aquecidas com brasas, guardavam as refeições preparadas pelo mestre da casa. Em ânforas dispostas no outro lado do balcão, vinhos da terra e mesmo da Grécia, Creta e de possessões romanas distantes, estavam prontas para matar a sede. Não seria o embrião das fast-food?

Nas paredes das hospedarias, pode-se perceber, em gravuras quase apagadas, o que se podia comprar naquele local. A propaganda era essencial!

O comércio com o porto de Herculano era intenso. Pela Porta do Mar, apenas alguns quilômetros para o retorno ao navio.

Pela Arena, pelo Teatro, pela luta de gladiadores, pelos banhos públicos e até pelos lupamares, Pompéia, além de mercados, oferecia aos forasteiros muitas atrações, algo importante para quem admira e gosta de mercados públicos.

 

Felipe Daiello é autor de “As Minhas Ilhas” da Editora AGE

COMENTÁRIOS