Mercado na rota das cervejas gaúchas

Mercado na rota das cervejas gaúchas

 

O bar e pastelaria Nova Vida faz parte do 1º Circuito de Cervejas e Pratos Gaúchos, que propõe harmonizar pratos regionais com cervejas artesanais produzidas no estado.

 

Foto: Letícia Garcia

Aberto oficialmente em 1º de março, o Circuito tem no roteiro dezesseis bares e restaurantes porto-alegrenses, cada um oferecendo um prato típico do estado acompanhado de uma cerveja artesanal gaúcha. Tanto preços quanto combinações são variados, todos tendo em comum os ingredientes regionais. O Restaurante Nova Vida é o único do Mercado a participar do Circuito. Há cerca de três anos, o bar foi o primeiro a incluir cervejas artesanais no Mercado, que hoje já conta com cerca de oito estabelecimentos com artesanais no cardápio.

A criação do Circuito foi mais uma ação do Governo do Estado a favor da produção cervejeira gaúcha. Em 2012, o Governo reduziu o ICMS para as bebidas regionais em 12%, dando um incentivo e procurando equilibrar a competição entre grandes e pequenas empresas. Segundo a Associação Gaúcha de Microcervejarias (AGM), existem 40 micros no estado, doze delas no Circuito, num mercado que está crescendo.

Convidado a participar do Circuito, Rodrigo Tomasel, proprietário do Nova Vida, não teve dúvidas em aceitar. “Tivemos alguns dias para escolher um prato, e foram umas duas noites de sono que eu perdi pensando no que fazer para harmonizar com uma cerveja”, brinca. O prato escolhido foi o Entrevero Farroupilha, que traz seis tipos de carne, acompanhadas de cebola roxa e pão francês. “Os insumos eu compro aqui dentro do Mercado Público, que é o meu melhor depósito, sempre com produtos frescos. Não preciso estocar”, diz Rodrigo. Para harmonizar com o entrevero, uma cerveja estilo Indian Pale Ale (IPA) da Cervejaria Farol. Entendido de cervejas artesanais, integrante da Associação Brasileira de Sommeliers de Cerveja, Rodrigo explica: “A IPA é um pouquinho mais alcoólica do que as cervejas que a gente está acostumado a tomar, tem em torno de 6,5 % de graduação alcoólica, e também é reforçada no lúpulo. Bem aromática e bem lupulada”. Acompanhando o pedido, um copo personalizado do Nova Vida, assim como, cada bar do Circuito.

A expectativa é que a curiosidade e o interesse atraiam o público. “A gente está bem otimista. Treinei bem a equipe sobre o assunto, tanto na cozinha quanto no atendimento. Vamos nos empenhar para fazer o melhor prato, para servir o melhor chope, para ser um dos melhores do Circuito”, diz Rodrigo. “Claro que é uma competição saudável – tanto é que, para todo cliente que eu atendo, eu indico os outros quinze estabelecimentos que estão fazendo parte do Circuito. Digo que é para fazer a coleção dos copos”, conta.

O Circuito é um convite para se conhecer as cervejas artesanais do estado, além de pratos com ingredientes bem regionais. E o Mercado, com espaço para o tradicional e o novo, já está a par dessa crescente cultura cervejeira.

 O 1º Circuito de Cervejas e Pratos Gaúchos é promovido pelo Grupo de Trabalho de Gastronomia Regional do Palácio Piratini, em conjunto com a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa), através da Câmara Setorial das Bebidas Regionais, com o apoio da Associação Gaúcha de Microcervejarias (AGM), da Associação Brasileira de Sommeliers de Cervejas, do grupo de design Thinkers Poa e da Revista da Cerveja. Confira os bares e restaurantes do 1º Circuito de Cervejas e Pratos Gaúchos: http://www.circuitogaucho.com.br/

  

COMENTÁRIOS