Mercado do Bom Fim

Com 90 anos de existência, o local é um dos pontos mais tradicionais do bairro. As floriculturas e o conhecido Zé do Passaporte (cachorro-quente) são os estabelecimentos mais antigos que, junto com as demais bancas, funcionam todos os dias, inclusive aos domingos, quando acontece o Brique da Redenção.

Foto: Joel Vargas/PMPA

O Mercado do Bom Fim localiza-se em uma das esquinas do Parque Farroupilha (a Redenção), no encontro das Av. Osvaldo Aranha e José Bonifácio. O prédio, inaugurado em 2000, com uma área de 670 m², substituiu a antiga construção datada em 1928, situada onde hoje está o Hospital de Pronto Socorro (HPS). Nessa época, o Mercado era composto por 49 bancas de diversos segmentos. Nos anos 90, o local foi interditado pela prefeitura por conta de riscos de desabamento e incêndio.

Atualmente, dos antigos permissionários, permanecem as floristas e o Zé do Passaporte, o cachorro-quente mais antigo de Porto Alegre. Entre as demais bancas, encontra-se uma loja de produtos da comunidade indígena gaúcha, que vende artesanato dos povos caingangues e mbyá guaranis. O Mercado também conta com uma loja do Escritório de Turismo da Prefeitura de Porto Alegre.

Ao todo, são 24 permissionários, divididos em bares, cafeteria, delicatessen, pet shop, artesanato, tabacaria, sorveteria e loja de fotografia. As lojas funcionam todos os dias, das 9h às 19h, e os bares, das 10h às 24h. De segunda a sábado, motoristas podem estacionar na área azul, em frente ao Mercado. No domingo, o estacionamento é gratuito.

Em agosto de 2007, a Câmara Municipal aprovou o Projeto de Lei do vereador Adeli Sell (PT) que oficializa a Feira do Mercado do Bom Fim, composta por artesanatos e artes plásticas. A feira é realizada no entorno do Mercado aos domingos, das 9h às 19h.

 

COMENTÁRIOS