Mercado de guloseimas e doçuras nos Países Árabes

Tradição entre os povos árabes, a acolhida de amigos, ou mesmo de estranhos, começa com um café bem forte e doces típicos.

 

MERCADOS DO MUNDO, por Felipe Daiello

Com roupas tradicionais, o encontro em restaurantes e mesmo em cafés pode ser iniciado pela narguilé — método de fumo no qual a água quente serve como filtro.

As tâmaras, alimento presente nas mesas e tapetes dos beduínos, surgem, suculentas, mesmo após o processo de secagem ao sol. Nos mercados, os diversos tipos, de procedências diversas, aparecem com as cores e os sabores para a devida degustação. Podemos escolher: Kholas, Khidric, Segais, Waman, Ajwa, Um Alhaman e Wadjovel. Em lojas mais especializadas, as tâmaras, em lindas embalagens ou vendidas por unidades, podem surgir caramelizadas ou não,  até com cobertura de chocolate. Amêndoas defumadas, salgadas, companheiras de laranjas e tamarinos cristalizados, são adicionadas às guloseimas da tentação.

Espumantes feitos com fermentação de tâmaras, embalagens luxuosas, são possibilidades para o nosso conhecimento. Especialidades para estrangeiros. Frutas secas, cristalizadas, como cerejas e berries de todas as partes do mundo, de cores variadas, preços de acordo com a extravagância, estão ao lado, para nossa perdição.

Pobre da nossa dieta: será preciso malhar bastante enquanto aceitamos as provas oferecidas — o pecado sempre será acompanhado por calorias adicionais A censura da balança é esquecida.

Para os árabes, parece não haver culpas, tal a quantidade de caixas e pacotes que não cansam de escolher e carregar. Não é possível acompanhá-los. A nossa controladora fofoqueira ganhou a última batalha.

Fotos: Felipe Daiello

COMENTÁRIOS