Mercado de Gastronomia de Turim

Mercado de Gastronomia de Turim
Por Felipe Daiello


Na antiga região dos mercados, o Borgo Dora, na cidade italiana Turim, apresenta um templo onde podemos adquirir os componentes para preparar as iguarias do Vale D’Aosto e do Vale Piemonte.

 

Tettoia dell’Orologio, construção metálica perto da Praça da República, é o local onde iremos comprar os ingredientes para acepipes dos deuses: Spinaci alla Piemontese, Manzo Brasato al Barolo, o ossobuco, o Fagianio Tartufato. As carnes são o ponto alto: gado, porco, cavalo, asno, carneiro, javali, aves de caça e galinhas estão à mostra. Cortes nobres e diferenciados.

Pode-se comprar tudo e embutidos são preparados na hora, ao gosto do cliente. Os condimentos, como fórmula secreta, estão disponíveis ao lado dos moedores para fabricação de linguiças, salsichas, salames Carpaccios e o Bresciola, que são outras possibilidades. Tantas escolhas, mas a hora do almoço está longe. Lástima! Os pernis de porco, defumados ou não, apenas curados, com a adição de pimentas de todos os tipos, de condimentos, apresentam as técnicas especiais de cada região, de cada burgo, da própria Itália.

Faisões e perdizes recheados estão aguardando a temperatura dos fornos e fogões. Trufas brancas são atrativos do Piemonte.

Grissinis, para os aperitivos, com revestimentos diferentes, são tentações. Podemos provar amostras. Picantes, outros gostos diferentes, mas as sementes de gergelim agora darão mais prazer ao nosso paladar. Crocantes!

Terra dos vermutes, não podemos esquecer: Cinzano, Martini e Carpano. Estamos na cidade certa. Muitas sugestões para a carne: a compra vem acompanhada do vinho sugerido. Nos molhos e preparos não pode faltar o vinho adequado. Usa-se mais manteiga do que azeite, seguindo as raízes francesas. O Piemonte é escola diferente na Itália gastronômica.

Pimentões, todas as quatro cores, salsão, cebolinha, são servidos crus junto a Bagna Càuda — molho condimentado de anchovas, alho, azeite de oliva, manteiga e até trufas.

Do Valle d’Aosta, um queijo adocicado faz a diferença na comparação com os gorgonzolas da Lombardia. E a região poderá surpreender pelas receitas possíveis com produtos de arroz.

Os pestos e as conservas impressionam pelas possibilidades, as diversidades, o “não provado”. As bruschettas poderão alcançar, apesar da simplicidade, prazeres imensos. Nunca os acompanhamentos, não mais coadjuvantes, terão o papel principal como na cozinha local. Os pestos adicionam surpresas às pastas.

Depois, talvez para não esquecer a parte espiritual, é momento de descobrir os mistérios do Santo Sudário. Mas antes teria sido necessário escolher entre dispendiosos Barolos, como um Ornato do Pio Cesare, um Dolcetto d’Alba, um Gavi ou talvez o Barbera d’ Alba. Não há como se enganar quanto ao vinho. Experimente todos, são excelentes.

 

Para a sobremesa, uma torta di nocciole, com bastantes avelãs. Os amaretti, biscoitos leves com amêndoas e clara de ovo, virão com o café.

 

 

Fotos: Felipe Daiello

COMENTÁRIOS