Massas: energéticas e calóricas

Simples ou sofisticadas, rápidas ou demoradas, as massas são sempre um sucesso, principalmente no inverno. Mas o segredinhos, como sempre, são os molhos, os temperos, os condimentos. E de uns tempos para cá, a harmonização. Vá além de uma simples pasta aferventada. Inspire-se. Invente, descubra ou procure novidades. Falando em inspire-se, nada melhor do que vinhos para isto. E o Mercado Público está cheio deles. E muitos mais ingredientes para você degustar a estação.

Robson Franzen, há dois anos à frente do Empório 38, diz que a casa oferece massas italianas bem conceituadas, espaguetes, pennes, conchiliones, capeletes, nhoques, lazanhas prontas e uma grande variedade da principal característica culinária do país da bota.

Molhos, muitos molhos
Por exemplo, para fazer um penne, Robson sugere um bom molho com pesto elaborado com bom manjericão seco ou fresco, dependendo da preferência de cada um, com queijo grana padano. “O original é com pinozes, um tipo de pinhão italiano, bastante oleoso. Mas tem com nozes ou castanhas também”, diz ele. Outro molho sugerido é o de cogumelos secos, ou funghi.

Molhos vermelhos
Para quem prefere os molhos vermelhos, o Empório 38 tem excelentes, de procedência italiana, prontos, tradicionais (puros) ou com manjericão e cebola. Para paladares mais fortes, tomate seco, ou uma anchova peruana, queijo ralado forte, de sabores acentuados. E azeites de oliva, frutados, intensos, aromáticos. Outras delícias são um molho italiano de polpa de tomate italiano e um divino creme de leite fresco para fazer molho branco, o qual os chefes de cozinhas elogiam bastante, segundo Robson. A dica é fazer um molho de quatro queijos e colocar o creme de leite. E queijo é o que não falta no Empório 38 – são mais de 100 rótulos.

Pimentas e antepastos
Cada vez mais as pimentas estão conquistando mesas e se tornando um ingrediente fundamental na culinária e gastronomia. No Mercado você encontra todos os tipos. Já no Empório 38, Robson anuncia molhos prontos de pimenta. Americano, inglês, ou nacionais. “Agora chegou um molho de suco tomate americano bem apimentado, mas temos também molho mexicano com pimenta, molho de pimenta para cuscuz e molhos tradicionais em polpa”, diz ele, informando que a casa não trabalha muito com pimentas em conserva. Para acompanhar todas essas delícias, sugere pães alemães e diversos tipos de torradinhas, que vão muito bem com caponata ou antepasta de berinjela, excelentes entradas. Diferenças entre elas: a caponata é a beringela ralada com diversos legumes e frutas, pimenta, castanha do Pará e azeite de oliva. E o antepasto é a berinjela pura, com alguns condimentos e azeite de oliva. E tem também a pasta de berinjela que é um creme dela, com sabor bem acentuado.

Molhos fortes, azeites e harmonização

Harmonização tem algumas regrinhas como, por exemplo, uma comida com sabor mais acentuado, pede um vinho mais encorpado e o contrário também, pratos mais leves, vinhos mais leves. Mas no fundo quem decide é o paladar do consumidor. Entre os vinhos, o cabernet sauvignon continua um clássico. Sugestão? Uma massa com sabor mais leve, com funghi refogado vai bem com um vinho mais light, tipo um merlot, ou um malbec, mais macio, ou um carmenère. Já uma massa mais picante ou acentuada, com uma anchova ou um grana padano, ataque com um bom cabernet ou um syrah. O importante é degustar bons vinhos, de melhor elaboração. Robson informa também que estão chegando muitos rótulos novos, de uvas novas. “Bons vinhos nacionais. E também está aumentando a procura do assemblage, ou seja vinho com corte, um mistura de vinhos, cabernet, merlot, carmenère. Muito comum em vinhos estrangeiros.” Então? Direto às bancas do Mercado!

COMENTÁRIOS