Jornal do Mercado, sete anos nas bancas do Mercado

Jornal do Mercado, sete anos nas bancas do Mercado

O Jornal chega aos sete anos com uma relação sólida com o Mercado Público – uma parceria de quase uma década. Mas ainda há muito que fazer.

Apesar de ser muito pouco, perto dos 145 anos do Mercado Público, em sete anos o Jornal do Mercado pôde registrar muitas transformações em sua história recente. O Jornal surgiu em setembro de 2007 com o objetivo de defender os interesses do Mercado, divulgar suas bancas, produtos e o seu valor histórico e cultural, dando voz a seus personagens – aqueles que fazem o Mercado – e a seus frequentadores, antigos, novos, visitantes e turistas. São anos de convivência, de amizades e parcerias, buscando, como todos, contribuir para construir uma sólida imagem do Mercado. Hoje, com uma distribuição regular de 15 mil exemplares, o Jornal chega ao público mensalmente, com sua periodicidade rigorosamente mantida. Com uma equipe de jornalistas, fotógrafos, designer, funcionários e equipe comercial, o Jornal do Mercado afirmou-se como uma das mais respeitadas publicações da imprensa segmentada do estado, com uma linha editorial absolutamente isenta e independente, que privilegia, antes de mais nada, o objetivo de tornar o Mercado ainda mais conhecido para um maior número de pessoas. Uma missão que, perto do tempo de existência do Mercado, está só começando.

Seções

Ao longo destes sete anos, foram várias seções criadas para registrar o dia a dia do Mercado. Algumas já extintas, como a História das Bancas ou Vozes Oficiais, mas que documentaram importantes depoimentos. Passaram também importantes colaboradores, como Sérgio da Costa Franco, uma espécie de memória viva da cidade, que durante algumas edições manteve uma coluna em nosso Jornal, e Edgar Vasques, considerado um dos mais importantes cartunistas do estado reconhecido nacionalmente. Além das seções, centenas de reportagens, entrevistas, notas, registros, fotos e, principalmente, um trabalho diário feito com o maior profissionalismo.

História das Bancas

Um registro do histórico de fundação das bancas do Mercado, muitas das quais já estão na segunda ou terceira geração. A seção poderá voltar em 2015. 

Vozes Oficiais

Estando o Mercado ligado à prefeitura e a suas secretarias da Produção, Indústria e Comércio, Cultura (através do Memorial do Mercado) e Turismo, o Jornal disponibilizou espaços para que seus titulares pudessem passar aos leitores suas impressões, ideias, perspectivas e projetos.

Eu no Mercado

Durante algumas edições foram registradas as visitas do público ao Mercado. Passeando ou comprando, foram ouvidos dezenas de depoimentos de pessoas dos mais diferentes lugares do estado.

Olhar sobre o Mercado

O começo foi com fotógrafos convidados, para mostrar aos leitores o seu olhar sobre o mundo do Mercado. Depois, com a realização do I Concurso Fotográfico do Jornal do Mercado, passou-se a publicar os vencedores e as melhores fotos selecionadas. Todas mostrando aquilo que todos conhecem: os Outro projeto que poderá voltar em 2015.

Depoimento Ilustre

Um espaço reservado para colher depoimentos de visitantes ilustres do estado, do país ou até fora dele. Foram muitos e preciosos depoimentos, todos sempre elogiosos ao Mercado.

Mercados do Mundo

O escritor Felipe Daiello assina esta interessante coluna, onde registra em texto e fotos visitas a vários mercados que visitou pelo mundo. Além de aspectos muito curiosos, vale para um comparativo de estilos com o nosso Mercado.

Personagem

Uma das mais esperadas seções do Jornal, é praticamente um trabalho de história oral, resgatando a trajetória de importantes nomes do Mercado. Inicialmente, foram documentados os personagens mais antigos e históricos – todos com histórias maravilhosas sobre os velhos tempos do Mercado. Atualmente, já são ouvidas as gerações mais recentes de mercadeiros. E ainda há muitos para ouvir, felizmente.

Centro Histórico

Sendo o Mercado um dos mais importantes patrimônios histórico do Rio Grande do Sul, nada como valorizar também o Centro Histórico da cidade, no qual o Mercado funciona como uma das maiores referências. A seção começou com menos de uma página e hoje ocupa duas páginas, com conteúdos geralmente baseados no Programa Viva o Centro a Pé, da prefeitura de Porto Alegre.

Cultura Gaúcha

No coração da capital gaúcha, o Mercado traz marcas típicas da nossa terra, seja em seus costumes, em seus personagens, em seus produtos ou em bancas especializadas na tradição. A coluna Cultura Gaúcha foi criada em setembro de 2012 para trazer olhares sobre as coisas do nosso estado através de entrevistas com personalidades representativas do regionalismo gaúcho. Em setembro de 2013, a coluna passou a ocupar uma página inteira do jornal.

Espaço da Ascomepc

Tribuna para a presidência da Associação do Comércio do Mercado Público Central para informes, relatos e propostas para os associados.

Chefs no Mercado

A partir de maio de 2013, passou a ser editado o caderno de gastronomia Chefs no Mercado, uma decorrência natural, já que o Mercado, com seus milhares de produtos, simples ou sofisticados, procuradíssimos por chefs ou cozinheiras donas de casa, é um templo culinário.   Pelo caderno, passaram importantes chefs, gastrônomos, principalmente da nova geração, que estão (re) descobrindo a importância de alimentos puros, orgânicos, trazidos de produtores locais. São dezenas de receitas, deliciosas e originais, feitas com ingredientes encontráveis nas bancas do Mercado. 

COMENTÁRIOS