Jornal do Mercado 11 anos, na defesa dos interesses do Mercado

Vencendo todas as dificuldades que os jornais segmentados, alternativos e comunitários enfrentam (muitos sucumbem), o Jornal do Mercado completa 11 anos de vida, depois de uma década respeitando rigorosamente a periodicidade e o seu compromisso com a qualidade. Tendo como principal objetivo divulgar e defender tudo aquilo que interessa ao Mercado Público, o JM entra na sua segunda década renovando os seus propósitos e mais firme do que nunca.

Em 2015, o JM passou por uma reestruturação de conteúdo e layout, ampliando a sua abrangência, tudo pensando no público leitor — mercadeiros, frequentadores e todos aqueles que amam e vivem o MP. Notícias sobre o Mercado e as seções Burgomestre, Centro Histórico, Cozinhando com o Senac, Cultura Gaúcha, Depoimento Ilustre, Direto da Fonte, Eu no Mercado, Mercado Antigo, Mercado Líquido, Mercados do Mundo, Personagem, Turismo Poa e Vitrine, além de reportagens especiais, trazem um panorama sobre este Patrimônio Histórico e Cultural de Porto Alegre. Relembre com a gente os principais destaques das nossas últimas 12 edições.

 

Nº 111 — setembro/2017

Essa edição marcou o registro dos 10 anos do Jornal do Mercado. Foi um número histórico, trazendo uma ampla retrospectiva das principais seções, colunas, fatos marcantes e muitos depoimentos de personalidades e autoridades. Além disso, toda a linha do tempo de uma década da existência do jornal.

 

Nº 112 — outubro/2017

Outra edição marcando uma data comemorativa, desta vez o aniversário do Mercado Público. Trazendo abordagens sobre a sua diversidade cultural, fala de autoridades, perspectivas de futuro e situação atual, o JM documentou os festejos do aniversário, com eventos, discursos e o tradicional bolo distribuído para o público. A edição também marca o compromisso assumido pelos mercadeiros em relação ao PPCI.

 

Nº 113 — novembro/2017

Mostrando que o Mercado Público, como o mais importante patrimônio histórico da cidade, também está ligado à cultura, trouxemos como matéria principal a 63ª Feira do Livro de Porto Alegre.

 

Nº 114 — dezembro/2017

Como não poderia deixar de ser, o Natal foi o grande tema. Buscamos mostrar o Mercado e as suas bancas como boas opções de presentes diversificados e originais, com um roteiro de compras para as boas festas de fim de ano.

 

Nº 115 — janeiro/2018

Abrindo o ano, uma edição voltada para as atrações do verão e as muitas alternativas do Mercado: bares, cafés, lancherias, restaurantes, sorveterias, sushis, temakerias, além dos muitos bares para cervejas geladas (inclusive artesanais), chopes, sucos e outras bebidas. E, para completar, um guia gastronômico.

 

Nº 116 — fevereiro/2018

Ainda em ritmo de férias, com muita gente passeando pelo Mercado, registramos o evolutivo do projeto Cais Mauá, essencial para o Centro Histórico e a própria cidade. Nas seções, um resgate da figura emblemática de Luciana de Abreu em Cultura Gaúcha, o Mercado das Flores de Amsterdam em Mercados do Mundo e cervejas artesanais em Mercado Líquido.

 

Nº 117 — março/2018

Uma das grandes datas do Mercado, a Páscoa foi o centro das atenções desse mês. No Natal e na Semana Santa o Mercado fica praticamente lotado com o público nas suas bancas. Neste caso, todos buscando peixes, o sagrado bacalhau e muito chocolate. Para orientar nossos leitores, um roteiro de compras.

 

Nº 118 — abril/2018

A partir desse número, passamos a contar com a parceria do setor de Gastronomia do Senac-RS e os seus principais nomes, como o chef senegalês Mamadou Sène. Ele assinou a coluna de estreia com as suas receitas. Registro especial: os 99 anos da Banca do Holandês.

 

Nº 199 — maio/2018

Na capa, os 15 anos da Feira do Vinil, hoje consagrada no Mercado Público. Um espaço para a nostalgia e para os que valorizam e colecionam as velhas bolachas pretas. O olhar materno, por meio de depoimentos do Dia das Mães, e uma homenagem à figura de Dona Eva Sopher em Cultura Gaúcha.

 

Nº 120 — junho/2018

O grande destaque foi para o lançamento do edital de Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), que orienta empresas a entregarem estudos e propostas de gestão do Mercado Público. Na prática, um primeiro passo para a privatização da administração do espaço. Também registramos o falecimento da arquiteta Briane Bicca, uma das grandes defensoras do Mercado enquanto um bem e patrimônio público.

 

Nº 121 — julho/2018

O JM não poderia deixar passar em branco os cinco (longos) anos do incêndio que abalou o Mercado e a cidade. Desde lá, cinco restaurantes e uma sorveteria operam provisoriamente no Espaço de Eventos, enquanto o segundo piso continua interditado. Também registramos o pedido de solicitação da vereadora Sofia Cavedon (PT) de suspensão do PMI do Mercado, encaminhado ao Ministério Público de Contas (MPC).

 

Nº 122 — agosto/2018

Buscando inteirar os leitores, mercadeiros e o público em geral sobre os modelos de administração de mercados municipais pelo país, fizemos um levantamento de alguns deles. O resultado foi publicado nessa edição, que também registra o início das obras do Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndio (PPCI) nas escadas do MP.

 

COMENTÁRIOS