Isabel Ferrari “O Mercado faz parte da minha infância”

Isabel Ferrari

“O Mercado faz parte da minha infância”

 

O pai, Carlos Alberto Ferrari, adorava os sorvetes da Banca 40. A mãe, Mirtes Ferrari, jornalista, trabalhou 30 anos na prefeitura, ao lado do Mercado. Com essas referências, Isabel Ferrari conviveu com o Mercado desde a infância. Um convívio permanente nos seus 41 anos de idade. Hoje já não freqüenta muito as suas bancas e restaurantes por causa do filho pequeno, João Pedro. Isabel Ferrari, uma das apresentadoras do Vida e Saúde (RBS TV), conversou com a reportagem do Jornal do Mercado.

 

            Hoje eu não venho muito ao Mercado porque atualmente tenho uma vida meio corrida, com filho pequeno e tal. Mas eu tenho uma lembrança muito grande da minha infância porque a minha mãe trabalhou 30 anos na prefeitura, ela é jornalista e foi “vizinha” do Mercado. Eu vinha aqui quando era criança, às vezes buscar minha mãe, ou alguém me trazia. A gente ia passear, comprava frutas, é uma coisa que ficou muito na história da minha infância. Meu pai era apaixonado pela Banca 40, então quando quero matar a saudade dele, já faleceu há algum tempo, eu venho na Banca 40 para comer a salada de frutas com sorvete. Para mim tem um pouco da minha história e da minha família, das minhas lembranças de criança aqui.

 

Pelos mercados do mundo

 

            Acho “tri” bonito o Mercado porque ele é colorido, cheio de coisas diferentes. Acho que os mercados de todas as cidades trazem um pouco da história delas.  Eu sempre que viajo gosto de ir nos mercados, já fui em vários. O nosso Mercado é superorganizado e limpo, já fui em outros que não são tanto. Tem o mercado de Belo Horizonte que é lindo, o de São Paulo, que é muito legal, já fui em um monte de mercados fora do Brasil. O de Barcelona que é lindo, o de Budapeste, é superlegal. Acho que nos mercados das cidades tem coisas que são a cara delas, verdadeiras, não “para inglês ver” ou para turista. É um lugar onde todo mundo circula, democrático.

 

A diversidade do Mercado

 

            Aqui, o Gambrinus é um lugar que eu amo muito, vinha bastante almoçar aqui aos sábados, mas agora com criança não dá. Quando eu era solteira, não tinha filho, sempre vinha aqui comer um peixe. É uma referência da cidade. Tem uma parte da minha família que mora fora do Brasil, já trouxe eles para ver o Mercado, ver coisas que eles não conhecem, como erva-mate. E é um lugar que tem coisas que não tem em outros lugares, e uma diversidade de coisas saudáveis, como granola, damasco. Um lugar que te oferece muitas oportunidades, num ponto central. Gostaria de ver ele sempre muito bonito, porque lembro dele quando era bem baixinho, tinha um teto bem pequeno. Fiquei muito feliz quando vi ele reformado. Espero que todo mundo zele por ele, e que seja um prédio sempre muito cuidado e amado da nossa cidade.

 

Foto: Letícia Garcia


 

COMENTÁRIOS