Investimentos no turismo fortalecem o setor

Programa do Ministério do Turismo disponibiliza R$ 200 milhões para ações de promoção, capacitação e incentivos para qualificar as principais Rotas Turísticas do país. Porto Alegre está incluída no programa.

Foto: Vinicius Bandeira

NOSSA PORTO ALEGRE, por Jorge Ghiorzi, gerente de projetos do Porto Alegre e Região Metropolitana Convention & Visitors Bureau

O desenvolvimento do turismo depende essencialmente de projetos, iniciativas, estratégias e planos. Ou seja, na condição de um movimento econômico, exige empreendimentos propositivos.

Desenvolver o turismo significa criar valor e despertar desejos, molas propulsoras para a geração de consumo. As ideias, porém, ficam inevitavelmente sujeitas à disponibilidade de recursos econômicos para “saírem do papel”. Neste cenário, é muito estimulante e promissora a iniciativa do programa Investe Turismo, lançado pelo Ministério do Turismo, juntamente com o Sebrae e a Embratur.

A notícia vem em boa hora. Mas o que é exatamente o Investe Turismo? O nome já entrega em essência os seus objetivos. Trata-se de um programa que visa acelerar o desenvolvimento, elevar a qualidade dos serviços, fomentar a competitividade e gerar postos de trabalho em 158 municípios brasileiros.

O investimento inicial será de R$ 200 milhões, aplicados prioritariamente nas 30 maiores Rotas Turísticas Estratégicas do Brasil. O foco estratégico do programa é definir um novo posicionamento do país como destino turístico.

Na prática, este investimento nas Rotas Turísticas se dará através de ações organizadas em quatro linhas de trabalho: fortalecimento da governança; melhoria dos serviços e atrativos turísticos; planejamento de marketing e desenvolvimento de campanhas e, por fim, atração de investimentos e linhas de crédito e fontes de financiamento.

Porto Alegre é uma das 12 cidades gaúchas contempladas pelo projeto. A coordenação local está com o Escritório de Turismo de Porto Alegre, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE). A proposição é escolher 20 empresas locais (MEI, ME e EPP) para participar do projeto, que envolve cursos e consultorias, a fim de aprimorar o nível de serviço oferecido na cadeia produtiva do turismo.

COMENTÁRIOS