Idosos, alimentação adequada resulta em saúde e qualidade de vida

 A população de pessoas com mais de 60 anos que, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), representava 9,8% em 2005, passou para 13,5% em 2018 e deverá chegar, em 2060, a 25,5%, ou seja, ¼ da população deverá ser de idosos. Essas mudanças devem ser vistas sob as perspectivas sociais, culturais e da saúde. Para melhor compreensão do envelhecimento humano e para contribuir para uma vida autônoma e independente aos idosos, nutricionistas e profissionais de saúde estão, cada vez mais, se dedicando à área gerontológica.

Foto: Freepik

 

NUTRIÇÃO EM FOCO, por Josiane Silviero (CRN-2 4376), Doutora em Ciências da Saúde com ênfase em envelhecimento, Mestre em Gerontologia Biomédica e professora de Nutrição na UCS e na CNEC-BG.

Os cuidados nutricionais com as pessoas com mais de 60 anos iniciam com atenção à hidratação, principalmente no período de verão. Com o passar dos anos, a percepção da sede diminui e muitos idosos deixam de ingerir água na quantidade necessária. Portanto, cuidado especial: idosos devem beber água.

Entre as mudanças que podem interferir no consumo alimentar de pessoas acima de 60 anos estão a diminuição de paladar, o comprometimento da saúde oral (mastigação e deglutição) e a polifarmácia (uso de diversos medicamentos).

Devido à atrofia das papilas gustativas, eles não percebem os sabores ou sentem estes com menor intensidade, podendo exagerar no consumo de alimentos açucarados e salgados. É preciso incluir, em todas refeições, alimentos frescos e com variedade de cores. Para dar sabor às preparações e reduzir o sódio, utilizar ervas e condimentos naturais.

A constipação (dificuldade de evacuação) pode estar presente em idosos, por isso é importante que as preparações sejam adequadas a esta faixa etária e que contenham alimentos ricos em cereais integrais, frutas e vegetais, leguminosas, além da ingestão de líquidos.

Cuidado com as frituras, já que a digestão delas é mais demorada. Recomendamos a redução do consumo de alimentos ultraprocessados, como refrescos em pó, salgadinhos industrializados, refrigerante, bolacha recheada, etc., que, além da grande quantidade de sódio e açúcar, têm muitos conservantes.

O metabolismo é reduzido com o passar dos anos, favorecendo o aumento de peso e a obesidade, além da diminuição da massa muscular magra. Para minimizar este fato e adequar uma dieta saudável, orienta-se que o idoso procure um nutricionista, pois ele é o profissional capacitado para adequar a alimentação e avaliar a composição corporal.

Pelo alimento, podemos realizar a prevenção, o tratamento e a recuperação dos idosos. Precisamos lembrar que a comida de verdade trará qualidade de vida e bem-estar durante o processo de envelhecimento.

COMENTÁRIOS