Hobby e paixão no Mercado Público

 

COLECIONADORES

Hobby e paixão no Mercado Público

 

O evento acontece uma vez por ano no Mercado Público, reunindo colecionadores e aficcionados de itens cervejeiros e de refrigerantes. Mas o Encontro de Colecionáveis Cervejeiros acaba levando um público bem mais amplo – muitos, inclusive, tornam-se adeptos do colecionismo.  Promovido pelo Clube Gaúcho de Colecionáveis Cervejeiros Tcherveja, o encontro tem quatro edições durante o ano e geralmente a primeira acontece no Mercado Público. No fim do primeiro semestre vai para São Paulo e o último, quando se encerra o ano, na Argentina.

 

 

       “A vinda para o Mercado foi plenamente aceita e foi muito boa para nós colecionadores. Além de ser um lugar acolhedor, tem uma circulação de público bastante grande e é importante para o colecionismo”, diz Ronaldo Lague, o presidente da Tcherveja. Para ele o importante é abrir oportunidades para que as pessoas conheçam o hobby e possam adotá-lo. Nesse sentido acha o Mercado Público muito importante porque ele tem um “grande efeito multiplicador”. Isso se deve ao fato de ser um ponto de encontro da cidade, além de registrar uma grande circulação de pessoas diariamente. Muita gente, diz ele, vê objetos na mostra e acaba se interessando. E para os jovens muitas vezes é dado algum presente para despertar o interesse neles. Mas o importante mesmo, segundo ele, é que o  colecionismo é um meio para se criar sólidas amizades. O Encontro também se estende para participantes do Mercosul e Europa, além de todo o Brasil. Este ano participaram colecionadores de Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e outras capitais e estados. Do exterior vieram pessoas da Argentina, Áustria e Alemanha. E por falar em exterior, para este ano, em outubro, a entidade está projetando um mega evento no Chile, com a participação de vários países.

 

 

       Bom momento para trocas e intercâmbios

       Despertando muita curiosidade das pessoas, o evento contou com diversos expositores, dos mais de 70 associados da Tcherveja. Gilberto Miguel Antunes Filho, 38 anos, arquiteto, foi um deles. Participando pela terceira vez do Encontro, disse: “Acho que tem tudo a ver com o Mercado Público, porque todo mundo que está aqui procura um coisa diferente”. Gilberto há cinco anos é colecionador de copos de cervejas, mas não coleciona qualquer marca, só alguns com rótulos específicos. Como arquiteto procura os copos que apresentam um design, que é o que interessa para ele. Já Paulo de Tarso Dutra Lima, 27 anos, colecionador de latas de cerveja há 15 anos, já tem 1600 delas na sua coleção – de todos os lugares do mundo, com mais de 50 países. “A coleção é bem variada, com latas diferentes, antigas e algumas bem raras, que dificilmente chegam no Brasil”, diz. Para ele o Encontro é um bom para fazer intercâmbios.

 

 

Contato para interessados em colecionismo de itens cervejeiros: http://www.tcherveja.com.br

 

 

Foto: Fabrício Scalco

COMENTÁRIOS