História das Bancas

A cada edição o Jornal do Mercado estará publicando um breve histórico, com os produtos, características e diferenciais de todas as bancas e lojas do Mercado Público Central de Porto Alegre. Nesta edição abrimos com a Banca 38, o Restaurante da Bolsa, o Açougue Costelão do Mercado e a Barbearia Central.

 

CACHAÇARIA DO MERCADO – LOJA 95

Nara Gabardo, proprietária da cachaçaria já trabalhava em outra banca do Mercado, a Banca 38 que vende só bebidas. Como a cachaça tinha uma saída muito boa, resolveu partir para um ponto exclusivo para a destilada mais famosa do Brasil. Inicialmente abriu a loja nos altos do Mercado. A loja comercializa cachaças de todo o Brasil, todas seladas, registradas e com procedência. As cachaças que predominam são as mineiras, mas também são encontradas cachaças de Santa Catarina, Paraná, Piauí, Espírito Santo, Rio de Janeiro e, claro, do nordeste, uma região em que o produto é largamente produzido e consumido. “As cachaças gaúchas estão atuando junto com o SEBRAE, fazendo uma divulgação mais eficiente da nossa produção. Já temos, inclusive, três cachaças certificadas aqui no estado”, diz Nara. O público é bem variado, desde o conhecedor de cachaça a turistas. Mas o importante, segundo Nara é que as pessoas estão demonstrando mais interesse sobre o produto, querendo conhecer um pouco mais, saber o processo de envelhecimento. “Está mudando, porque há uns anos atrás tinha muito preconceito com a cachaça. Ainda tem, mas melhorou muito. Até mesmo as mulheres estão começando a beber cachaça”, acrescenta. O que chama atenção é a grande variedade de marcas, todas de qualidade. Os preços variam entre 10 a 340 reais, a famosa Havana. Quanto ao Mercado, Nara acha que precisaria haver um trabalho mais intenso para levar os turistas para visitá-lo

SERVIÇO:
F (51) 3225.8994 – 3224.2584
Cartões de Crédito: Visa, Redcard e Banricompras
Serviço de tele-entrega

 

COSTELÃO DO MERCADO – LOJA 159

 A banca vem desde 1941, fundada por Luiz Salami, sob o nome de Casa de Carnes Sol & Mar Ltda. O atual dono, Ivan Konig Vieira, está no seu comando desde dezembro de 2006. Localizado em local estratégico, o Costelão do Mercado é considerado um dos mais tradicionais açougues do Mercado Público. Os diferenciais, segundo o atual proprietário, são a qualidade e o preço. Segundo ele, as carnes são de qualidade e de boa procedência. “A gente trabalha com novilho precoce, que é uma carne mais macia. Como compramos em grandes quantidades, podemos oferecer um bom preço. ” A banca também possui clientes frequentes, alimentados por uma boa relação com a freguesia. Os fregueses são bem diversificados, havendo desde aquele que compra carne para faz um bom churrasco, como o que compra pezinho de galinha para o seu cachorro, informa Ivan. O Costelão do Mercado também está passando por reformas internas, contando com um novo balcão expositor e com um novo sistema de refrigeração (a água), especialmente na parte superior da loja, uma espécie de mezanino, onde fica a parte administrativa. Tudo para justificar, cada vez mais, o seu slogan de “maior qualidade, menor preço.”

 

SERVIÇO:
Costelão do Mercado – Açougue – F (51) 3224.2188
Cartões de crédito: todos
Serviço de Tele-entrega
Horário: segunda à sexta das 8h às 19h – sábado das 8 às 18h

 

RESTAURANTE DA BOLSA – LOJA 71

Conta a história que antigamente, nas primeiras décadas do século passado, havia um café onde eram feitos negócios que envolviam os comerciantes (e compradores) que traziam mercadorias para o Mercado que, por sua vez, eram arrebatas em grandes quantidades numa espécie de leilão no interior daquele estabelecimento. Daí passou a ser conhecido como “Café da Bolsa”. Este café, mais tarde passou a ser um açougue, quando foi comprado pela família de Alexandre Primaor Novo, o atual proprietário do espaço. Ele conta que o negócio se deu aproximadamente em 1940. Quando a família adquiriu a banca ela era, então, o Açougue da Bolsa. Alexandre, que convive no Mercado Público já há 26 anos, conta que com a reforma do Mercado, em 1996, a família resolveu mudar de ramo e abriu o Restaurante da Bolsa. Já no comando do restaurante há 10 anos, Alexandre informa que o restaurante tem um público bem diversificado, desde funcionários do próprio Mercado a executivos e profissionais liberais do centro da cidade. A casa oferece uma comida caseira, feita em panela de ferro, com cardápio definido, mas também oferecendo opções à la carte. “Bife, chuleta de gado, peito de frango, porco, fígado, como o cliente quiser: bifes à milanesa, ao alho e óleo, acebolado, com queijo, ovo e mais cinco tipos de salada”, informa Alexandre. Agora mais recentemente a casa está oferecendo também pizzas, a única dentro do Mercado.

SERVIÇO:
Restaurante da Bolsa – F (51) 32288699
Cartões de crédito: Mastercard e todos os tickets
Horário: segunda à sábado, das 10h às 22h

 

BARBEARIA CENTRAL – ALTOS DO MERCADO

A barbearia começou no piso do Mercado, há 32 anos. Com a reforma de 1996, passou paro o 1º piso. João Jeneci conta que entrou para o negócio através de um amigo, de quem mais tarde se  tornou seu sócio, (falecido há11 anos). Hoje ele já tem uma clientela formada, vendo praticamente três gerações se sucederem. Atualmente trabalha com o seu filho (e sócio), que inicia os trabalhos às 7 horas da manhã. Carlos porém, começa um pouco mais tarde, aí pelas 10 horas, exibindo toda a sua técnica de 44 anos de atividades como barbeiro. Conta que Olívio Dutra costumava frequentar a barbearia quando era prefeito. “Vinha fazer a barba, mas não se podia tocar no bigode do homem”. Quem também frequentava a barbearia era o deputado Reginaldo Pujol, entre outros políticos. Ele aprendeu a profissão no SENAC e diz que a profissão mudou bastante. A barbearia ainda dá certo ares de outros tempos, com clientes de até 90 anos. Pessoas que contam muitas histórias antigas, “que até emocionam” como diz Carlos. Serviços prestados pela casa: cabelo a máquina, barba, bigode, lavagem, banho e óleo, com preços que variam de R$ 5,00 a R$ 15,00. A vista é bonita, apesar de toda a degradação do entorno: da cadeira avista-se o velho Chalé da Praça XV.

SERVIÇO:
Fone: 96547671

 

COMENTÁRIOS