HomeSem Categoria

História das Bancas do Mercado

Restaurante Santa Cruz

José dos Santos Loureiro é português, da cidade do Porto, e chegou ao Brasil em 1957. Em Porto Alegre começou trabalhando no Antigo Mercado livre vendendo verduras, durante aproximadamente dois anos.
Augosto Gomes Gueiral, irmão do Manuel Gueiral, era o antigo proprietário do restaurante, isso lá na década de 50. Seu José trabalhou durante três anos como funcionário. Em 1960 juntamente com Manuel Marinheiro, compra o restaurante. Manuel do açougue também foi seu sócio durante algum tempo
Naquela época o restaurante era só na loja 7, em fins da década de 70, José adquire a Loja 9, onde funcionava uma casa de fumo de Abílio André. José recorda da época que trabalhava no restaurante até a meia noite. Dentre suas lembranças ficaram em sua memória estão a de um incêndio e também das conversas com o Silvino, seu amigo de Mercado.
Hoje o senhor José está com 72 anos e vem ao Mercado para passear e ver o restaurante, que agora está sob os comandos de seu filho Marcos André. “Comecei a vir ao Mercado com dez anos, vinha ajudar a atrapalhar, mas eu queria ver, participar. Fui aprendendo a trabalhar e fui ficando.“

Fone: 3226.0991

 

Banca 17

Pioneiro da família Sauer no Mercado Público, Domingos Sauer chegou por aqui no ano de 1968. Começou trabalhando na banca 47, depois de 15 anos como empregado surgiu uma oportunidade de comprar a banca 17, de Benvenuto Antoniolo, que na época estava doente e sem sucessores na família. Juntamente com seu colega de trabalho da banca 47, o Antoninho Imoff, Domingos compra a banca 17. Antoninho sairia pouco tempo depois da sociedade. Segundo Domingos “todas as bancas daquela época trabalhavam com secos e molhados, e a banca 17 sempre trabalhou com isso desde o início.“
Hoje Domingos está com 72 anos, sendo que 40 destes dedicados ao Mercado. “Antigamente eram pessoas mais simples que compravam na banca, geralmente miudezas, hoje vendemos para a classe média e público em geral sendo nossos principais produtos o feijão e os artigos para feijoada, como charque, miúdos de porco e temperos.“

Fone: 3224.4003
Cartão de Crédito: Banrisul, Mastercard e Visa
Das 7:30 as 19:30
Nos sábados até as 18:30

 

Mercado Doce Loja 81

Quando era criança, Jane Vieira acompanhava sua mãe que trabalhava na banca 25 e trazia de casa um pote cheio de balas e bombons. Como não havia uma loja com estes artigos no Mercado ela foi crescendo tendo esta vontade de montar a sua loja de doces.
A oportunidade surgiu a seis anos atrás, com o fechamento da Rotisseria São Francisco, que era do senhor Antonio Ortiz. Antes de ser rotisseria neste mesmo lugar funcionava o Açougue São Francisco, sociedade de Antonio com Francisco Sartori.
“No inicio não foi fácil, pois este ponto sempre havia sido usado como açougue, e sua imagem vinculada a carne, transformar um açougue em uma bombo­nier leva tempo. Quando iniciamos, a banca 13 era a única que trabalhava com produtos parecidos com o que comercializamos.
A época em que nossas vendas melhoram é no inverno, pois o público geralmente come mais chocolate, biscoito e rapaduras com o frio. Na páscoa também tem uma boa procura devido aos ovos de chocolate, mas durante o ano as balas, pirulitos e biscoitos saem muito bem.
Hoje atendemos ao público em geral, mas devido a nossos preços acessíveis temos tido mais clientes com baixo poder aquisitivo”, nos conta Jane.

Fone: 3224.2325
Não aceitam cartão

 

Taberna 32, Altos do Mercado

Quando saiu do interior de Santo Antonio da Patrulha, Claudemiro Adam estava então com 17 anos de idade. Veio a Porto Alegre por intermédio de alguns conhecidos de sua família que na época eram proprietários do restaurante Marco Zero. Onde começou na cozinha, lavando a louça. Em pouco tempo pegou a confiança de seus patrões, em dois meses na casa já tinha as chaves para abrir o restaurante pela manhã. Da cozinha foi para a copa, em seguida garçom e finalmente chegando a gerente.
“Teve muitos dias em que cheguei a trabalhar até as três horas da manhã, tendo que no outro dia abrir novamente o restaurante“, diz ele.
No ano de 2003, ainda gerente do Marco Zero, surgiu a oportunidade de comprar o restaurante Taberna 32, que na época pertencia a José Leonir. Não só conseguiu comprar o Taberna, como no mesmo ano também se tornou proprietário do restaurante Marco Zero, de Luiz Mauricio Gomes. Hoje, com 32 anos, ele conta com a ajuda de três irmãos e sua esposa, sendo dois irmãos no Taberna.
“Nosso prato tido como carro chefe da casa é a Anchova Grelhada, com molho de camarão opcional. Nos dias frios também saem bastante os pratos como a tradicional Feijoada (quarta, sexta e sábado) e a Vaca Atolada (quinta).“

Fone: 3228.1611
Cartões: Todos