Genova — Porto e Mercado da Ligúria

Genova — Porto e Mercado da Ligúria
Por Felipe Daiello

O que podemos captar da alma de Gênova ao efetuar as compras dos mantimentos necessários no dia a dia. É possível descobrir os seus mistérios, as características próprias, o modo de viver dos seus habitantes? 

Espremida entre montanhas e o Mar da Ligúria, Gênova é o porto da Itália. Cruzada por autoestradas, por elevadas e túneis, o tráfego é complicado. É a cidade das motos, veículo adequado para deslocamento por ruas estreitas e sem local para estacionar.

As melhores vistas são obtidas do porto novo. Transbordadores fazem conexão para o sul da Itália, para as ilhas do Adriático, para a Sicília e mesmo para a África. Junto à Porta Soprana, paredões das antigas muralhas, residência que é indicada como pertencente a Cristóvão Colombo. Farol, a Lanterna, construção tradicional, dá as boas vindas aos que chegam à Ligúria.

Cidade diferente, não tem igual na Itália, mostra nos prédios, nas igrejas, o fausto e a riqueza de tempos onde as naves de Gênova repartiam o Mediterrâneo com a rival Veneza. Marco Polo, o veneziano capturado em batalha naval, esteve aqui como prisioneiro. Na Fortaleza de Priamar, em Savona, o explorador escreveu o seu livro de memórias: relatos de visitas a países estranhos, descrevendo culturas e sistemas políticos diferentes.

Terra de navegadores, André Doria fez história como almirante e vencedor dos turcos na batalha de Lepanto. A riqueza da cidade aparece na decoração das igrejas e dos palácios. Grandes nomes deixaram aqui os vestígios, as suas obras. Filippino Lippi, Rubens, Veronese, Piola, Gambiaso podem ser admirados nas igrejas, principalmente na Igreja de Gesú. Hoje, o novo aquário é referencia mundial, exige dois dias para pleno conhecimento das coleções apresentadas.

 

Como sugestão, percorra a zona pietonal, saboreando a típica focaccia da Ligúria com cobertura de cebolas e azeite, massa fina. A culinária da região utiliza mais a manteiga em vez do azeite de oliva. A focaccia com cebola e ervas é o prato principal de Gênova. A proximidade da costa acrescenta o peixe e os frutos do mar aos pratos. A cozinha utiliza o vinho na preparação dos alimentos. Os Pansôti com molho de avelã têm recheio de ovo e espinafre, alho, ervas, ricota, queijo e azeite. O cacciuco, tipo sopa, reúne peixe e frutos do mar cozidos no vinho tinto, com alho e ervas. O manzo brasatu al barolo é alternativa. Não seria melhor experimentar primeiro a bresaola — finas fatias de carne crua servida como entrada com bastante limão e azeite.

 

Nos mercados podemos adquirir os produtos necessários à confecção do nosso desejo do dia. O vinho escolhido foi um Barolo. Os vinhos vêm do Piemonte, desde o Barbera d’Alba, o Barolo e o Dolcetto, depende do tipo da proteína escolhida, dos temperos e do molho. A possibilidade de encontrar o vinho encorpado, com a quantidade de taninos adequado, não será difícil, mesmo para os neófitos.

COMENTÁRIOS