Frutas secas: além de saudáveis, gostosas

Frutas secas: além de saudáveis, gostosas

 

 

Ultimamente tem sido uma febre a procura por frutas secas, com grande divulgação como uma opção mais saudável de alimentação natural. Muito consumidas durante o ano, são procuradíssimas no período do fim do ano, tanto para as ceias de Natal, como para doces e panetones. O Mercado, com suas inúmeras bancas, é o paraíso delas. Para encontrá-las, preparamos este caderno para a sua orientação. Aproveite!

 

Nutrição Por Aline Cruz – Nutricionista

A importância e os benefícios das frutas secas

 

As frutas secas contêm fibras, nutriente fundamental para regularização intestinal, passando pelo corpo sem ser absorvida e levando com ela as gorduras e açúcares em excesso. Mesmo passando pelo processo de desidratação, a fruta não perde a propriedade nutricional: as fibras, minerais e açúcares permanecem preservados. Mas há perda de vitamina C e as vitaminas do complexo B. Por isso, as frutas secas não substituem as frescas.

 

A desidratação é uma técnica milenar utilizada para a conservação de alimentos. Até hoje é tema de pesquisas científicas, que têm contribuído para o desenvolvimento de novas tecnologias, produtos e ingredientes para a indústria de alimentos. Para obter a fruta seca, é preciso desidratá-la por métodos naturais ou artificiais, ou seja, exposição ao sol ou em câmaras de ar, vapor, estufas ou fornos. O mercado nacional e internacional vem se abrindo para frutas secas como a maçã, o abacaxi, o mamão, a manga, entre outras.

Frutas secas e cristalizadas são diferentes. Para a cristalização é necessário submeter as frutas a um processo que consiste em fervê-las várias vezes, em sequência, em uma calda espessa, até que o suco seja substituído por açúcar. Normalmente usa-se a parte próxima da casca, mais adequada a este procedimento.

 

Benefícios e cuidados

 

As mais nutritivas são: uvas passas, damascos, tâmaras, figos, ameixas, banana, abacaxi. As nozes, amêndoas, avelãs e castanhas são oleaginosas que acompanham as frutas secas e também são muito nutritivas. As frutas secas são apreciadas como sobremesa, após a prática esportiva, em lanches ou apenas para matar a vontade de comer doce. É difícil passar pelas festas de fim de ano sem vê-las, como aperitivo, na decoração de pratos, incluídas em preparações culinárias doces e salgadas, dando um toque todo especial. Consumidas como petisco ou usadas para incrementar pratos doces e salgados, frios e quentes, elas agradam ao paladar e ainda ajudam o bom funcionamento do intestino, melhorando a pele, os cabelos e as unhas. São uma excelente opção para o ano inteiro.

 

Como qualquer outro alimento, as frutas secas devem ser consumidas com moderação – tudo que é demais não faz bem. Também é importante lembrar que, mesmo consumindo frutas secas, não se pode deixar de consumir as frutas naturais.  E atenção: apesar de fonte de vitaminas e minerais, o consumo de frutas secas deve ser moderado, já que são bastante calóricas. No processo de secagem, não há perda de fibras, minerais e açúcares, que ainda ficam muito mais concentrados, daí o sabor adocicado e aroma fortes. Justamente por isso tendem a ser ricas em calorias – chegando a cinco vezes o número de calorias da versão fresca. Por exemplo, o damasco: a fruta fresca possui 48 calorias, já a seca, 238.

Frutas secas preparadas comercialmente podem conter dióxido de enxofre, que pode provocar asma em indivíduos suscetíveis. Aquelas sem o dióxido de enxofre já são disponíveis. O enxofre é adicionado para proteger a cor e o sabor da oxidação. Frutas secas “orgânicas” são produzidas sem a substância, o que resulta numa fruta mais escura, e num sabor mais oxidado, que pode ter o gosto de chá seco. A recomendação é de até sete unidades por dia para consumo, no máximo três unidades de fruta por refeição.

 

Algumas frutas e seus benefícios:

 

Ameixa: ideal para bronquite ou anemia. Ela é fonte de vitaminas A, B e C e minerais, além de ser rica em fibras e auxiliar no funcionamento do intestino.

Banana Passa: problemas de estômago, tosse, infecções renais: para tudo isso a banana passa faz bem e ajuda a acelerar a sua recuperação. Além de vitaminas, é rica em ferro, fósforo e zinco. Ótima para o crescimento.

Damasco: rica em vitaminas A e B, essa fruta auxilia no transporte do oxigênio das células.

Pistache: rico em proteínas, fibras, selênio, cálcio, ferro, potássio, magnésio e vitamina E. Estimula o funcionamento do cérebro e a produção de hormônios. Além disso, ajuda no processo de cicatrização.

Uva passa: estimula a formação dos glóbulos vermelhos; ajuda no combate à anemia, às doenças renais e à hipertensão.

 

Sementes, um bom acompanhamento:

 

Amêndoa: rica em fibras e vitamina, auxilia o organismo na eliminação de toxinas e previne contra os efeitos nocivos da poluição.

Castanha de Caju: fonte de vitamina B2, combate diversos problemas de saúde, dentre eles a osteoporose. Além disso, é abundante em gorduras monossaturadas, o que aumenta o colesterol bom, o HDL.

Castanha do Pará: rica em proteína, é uma ótima fonte de energia. E as suas vitaminas atuam contra o colesterol ruim do nosso organismo, o LDL.

Nozes: ricas em vitaminas do complexo B, aminoácidos e minerais e beneficiam o sistema nervoso, além de proteger contra doenças cardíacas.

 

 

Apreciadores

 

Inocência Martins Ricardo, 69, dona de casa

 

“Sempre compro, só não vou levar de tudo hoje porque estou muito carregada”, disse a dona de casa. Assim, aos pouquinhos, ela vai levando cereja, ameixa, passas pretas e brancas, damasco, nozes, castanha, amêndoas, avelãs para fazer tortas Marta Rocha, docinhos de chocolate e muita cuca. E por que no Mercado? “Acho que é o costume, venho aqui há uns 20 anos”, disse ela, enquanto fazia suas compras.

 

 

 

Sara Valar, 32, assistente de direção de cinema

 

Acompanhada do seu amigo Rafael Duarte, 37, gaúcho que reside há oito anos em São Paulo, Sara almoçou no Mercado e depois foi às compras. “Sempre comi (frutas secas) porque gosto, acho que fazem super bem, tem propriedades importantes, faz bem para a alimentação”, disse. Ela usa tanto nas saladas, como nos lanches. Mas controladamente, por causa das calorias. Prefere comprar no Mercado, sempre. “Gosto desse clima aqui e essa movimentação. E além de serem mais frescos, os produtos são mais acessíveis também”.

 

 

 

 

Fotos: Letícia Garcia 

COMENTÁRIOS