Mercado de frutas e vegetais em Abu Dhabi

Apesar de apresentar shopping de nível internacional, é importante conhecer as tradições e a realidade dos habitantes dos Emirados Árabes Unidos. Criados em 1971, mostram nos mercados a pujança e a verdadeira face da nação.

 

 

Com incentivos ao comércio e ao turismo, os eventos, as feiras e os seminários são atraídos por uma infraestrutura moderna, pela facilidade das comunicações, por hotelaria excelente, com condições e preços para todos os tipos de bolsos e necessidades. A zona franca de comércio incentiva a multiplicação de riquezas, de indústrias. Lei de incentivos a taxas reduzidas e com redução de burocracias alavancam o progresso.

Com poucas áreas produtivas com a falta de água, apenas 6% da água necessária vem de oásis e de aquíferos subterrâneos. Graças à irrigação, a produção agrícola interna cresce de maneira permanente. A importação de hortaliças alcança 96% do total necessário. Mesmo assim, o que o mercado de frutas e vegetais apresenta em Abu Dhabi é interessante e merece destaque.

Como as bebidas alcoólicas são proibidas, o consumo de sucos de fruta é estimulado. Pomelos, laranjas, melões, abacates, abacaxis, kiwis e morangos estão ao alcance dos consumidores, por meio da importação e mesmo da produção interna. Embalagens perfeitas, acondicionamento como se fossem joias, está ao nosso dispor tudo o que o mundo produz. Do Laos, do Vietnã, das Filipinas, da África do Sul, dos Estados Unidos, da Europa, do Irã, do Iraque, da Arábia Sudeste e até mesmo do Brasil, todas as frutas estão disponíveis para serem transformadas em sucos e saladas.

Como presente, aqui, o correto é enviar uma canastra com frutas para os nossos amigos. Maneira de comemorar aniversários, eventos de sucesso ou simples gesto de amizade. Envie um cesto de frutas se for convidado para um evento: é a maneira correta para mostrar gratidão nos Emirados Árabes.

O Brasil precisa aproveitar esse nicho de mercado. O importante é o governo não atrapalhar. Como sempre, ele é o problema e não a solução. Palavras de Reagan.

 

 

COMENTÁRIOS