Festa da Leitura no Mercado

Festa da Leitura no Mercado

 

 Na primeira semana de julho, o Mercado Público abrigou a 1ª Festa da Leitura, organizada pelo Clube dos Editores do Rio Grande do Sul. O Espaço de Eventos foi palco de palestras, venda de livros e apresentações que atraíram o olhar dos visitantes costumeiros do Mercado. 

 

A Festa trouxe ao Mercado atividades como oficinas sobre autores gaúchos, contação de histórias para crianças e idosos, leitura em libras, apresentações de bibliotecas e escolas e o espaço digital da Biblioteca Callis de Livros Encantados, com 40 títulos animados, tudo gratuito e aberto ao público. A programação também incluía palestras e oficinas no Auditório Popular do 2º piso, voltadas aos mediadores – aqueles que levam o livro ao leitor reticente. Além disso, 22 estandes ofereciam livros com descontos de até 30%. Tudo parte de um grande movimento de incentivo à leitura. “O importante está em criar o hábito da leitura e descobrir que a leitura pode ser um ato de prazer e de alegria. E através desse hábito, que se possa desenvolver o próprio negócio do livro”, diz Jerônimo Braga, presidente do Clube dos Editores do RS. A pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, de 2011, realizada pelo Instituto Pró-Livro e executada pelo IBOPE Inteligência, constatou que a leitura (de jornais, revistas, livros e textos da internet) está em 7º lugar nas atividades no tempo livre, e que 50% dos brasileiros são leitores – mas considerando leitor aquele que lê quatro livros por ano. “Se formos comparar com outros países do mundo, é muito pouco. Então, o que é que nós temos que fazer? Não é vender livros: é criar o hábito da leitura”, reforça Jerônimo. O local de circulação que é o Mercado movimentou a Festa, levando aqueles que estavam de passagem a uma parada no evento, como Adriana Gomes, 24 anos, que trabalha no projeto Mais Educação dentro de escolas. “Achei ótimo ser aqui, porque o Mercado é um local que o pessoal passa para fazer compras, é um ponto central”, diz.

 

Balanço positivo

 

O balanço final foi de 1536 livros vendidos. Segundo Clô Barcellos, coordenadora da Festa e vice-presidente do Clube dos Editores do RS, a Festa da Leitura conseguiu reunir instâncias do governo e da comunidade. “Nada foi tão excelente quanto nossa escolha pelo local do evento. Podemos desejar, é claro, que na próxima edição o Mercado possa estar sem goteiras”, diz. Num dos dias da Festa, a chuva entrou no Espaço de Eventos e a água colocou em risco os livros expostos pelos editores – um problema recorrente em vários pontos do Mercado. “Mas estamos satisfeitos, com gosto de quero-mais”, completa Clô. “A Festa da Leitura é uma realidade que, esperamos, tenha vindo para ficar”.

 

COMENTÁRIOS