Feira do Livro, festa da literatura, mas vendas em queda

Balanço

 

Feira do Livro, festa da literatura, mas vendas em queda

 

Com uma redução de 16% nas vendas, em comparação ao ano passado, foi uma feira diferente, sem dúvida: o avanço da área infantil, em todos os sentidos, foi visível.

 

As vendas estiveram abaixo das expectativas e o tempo, tradicionalmente chuvoso entre os frondosos jacarandás, deixaram suas marcas na 55ª Feira do Livro de Porto Alegre. Segundo João Cervo, vice-presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro, as condições climáticas deste ano foram atípicas: “Há 15 anos não enfrentávamos tanta chuva durante a Feira, principalmente nos finais de semana, mas também em vários finais de tarde, em dias úteis. No sábado, dia 7, por exemplo, quando caiu um dilúvio sobre Porto Alegre o dia inteiro, vendemos 58% menos do que no mesmo sábado de 2008” – explicou Cervo.

Além disso, os feriados (do funcionalismo público, transferido de 28 para 30 de outubro), emendando com o de finados, em um final de semana de tempo excelente, levou boa parte da população para o litoral. Estes fatores, combinados, contribuíram decisivamente para a queda no volume de vendas do maior evento livreiro a céu aberto do continente.

 

A Feira: letras em números

354.892 (-16%) Exemplares vendidos l 252.754 (-15%) Área Geral

 87.672 (-21%) Área infantil e juvenil l 14.467 (-15%) Área internacional

 

Público

 

De acordo com estimativas da Brigada Militar, e tomando-se também por base o número de agendamentos de escolas na Área Infantil e Juvenil, o número de visitantes desta Feira do Livro chegou a 1 milhão e 400 mil pessoas. No total, foram realizadas 820 seções de autógrafos

COMENTÁRIOS