Feira do Livro de Porto Alegre

Nova seção do Jornal do Mercado, onde traremos informações e curiosidades sobre os principais pontos turísticos de Porto Alegre.

 

“A literatura é a expressão da sociedade, como a palavra é a expressão do homem”. Já nos soprava em tempos longínquos o filósofo francês Louis Bonald. Para entender a importância da literatura, porém, não é preciso ser nenhum famoso pensador. Peguemos um exemplo próximo: a querida Feira do Livro de Porto Alegre, que chega este ano a sua 61º edição.

 

Uma das mais antigas do país, ela teve início em 1955, pela iniciativa do jornalista Say Marques. O lema era: Se o povo não vem à livraria, vamos levar a livraria ao povo.

A primeira edição contou com 14 expositores, sendo as bancas criadas pelos carpinteiros da Livraria e Editora Globo. Desde essa época é realizada na Praça da Alfândega, e com o passar dos anos se expandiu até o Cais Mauá.

Na segunda edição iniciaram as sessões de autógrafos. Na terceira, passaram a ser vendidas coleções pelo sistema de crediário. Nos anos 70, a feira assumiu o status de evento popular, com o início da programação cultural. A partir de 1980, foi admitida a venda de livros usados.

No inicio dos anos 2000, com a criação de novos centros culturais no entorno da Praça da Alfândega (Santander Cultural, Centro Cultural CEEE Erico Veríssimo, além dos já existentes Margs e Memorial do RS), a programação cultural cresceu em número de autores participantes e público visitante.

A tradição de eleger um patrono começou em sua 11ª edição, no ano de 1965. Este ano, o patrono é o escritor Dilan Camargo, poeta conhecido por seus livros para crianças.

Além de ser um dos maiores eventos culturais do sul do Brasil, é considerada a maior feira de livros realizada a céu aberto nas Américas e uma das mais antigas do país.

A 61º Feira do Livro acontece entre os dias 30 de outubro e 15 de novembro. O espaço conta com uma capacidade para 600 pessoas no pórtico central do Cais do Porto, palco de fundo retrátil e está à beira do Guaíba. Além das barracas de livros que estão entre as ruas Siqueira Campos e Avenida Sepúlveda, na Praça da Alfândega.

COMENTÁRIOS