Estacionamento, gargalo do Mercado até quando?

Estacionamento, gargalo do Mercado até quando?

     Na primeira edição do Jornal do Mercado, em setembro, publicamos uma entrevista com o Secretário de Planejamento da Prefeitura de Porto Alegre, José Fortunatti onde, entre outros assuntos, o estacionamento foi um dos temas abordados. Cinco meses depois, voltamos a conversar com o Secretário, junto com o Presidente e representantes da Associação do Comércio do Mercado Público de Porto Alegre para falar deste e outros assuntos.

     É o que todos sabem: além da segurança do entorno, o estacionamento é um dos maiores problemas do Mercado Público. Tanto os permissionários, quanto os freqüentadores e clientes apontam a falta dele como uma das grandes dificuldades, sendo definido inclusive pelo próprio Secretário como o “gargalo” do Mercado. Para reivindicar e saber do poder público o que está sendo providenciado neste sentido, uma comissão do Mercado Público esteve reunida com Fortunatti. Representando a ASCOMEPC, foram o seu presidente Fortunato Garcia Machado, Clovis Athaus Junior, Adri-ana Kauer, Ivan Pozzebon e Francisco Assis. Clóvis frisou que o Mercado vem passando por uma série de melhorias e investimentos internos, buscando um público mais qualificado para o qual o estacionamento é fundamental.
Do encontro com o Secretário depreendeu-se que não existem novidades quanto ao assunto, até porque na entrevista de setembro, ele havia sinalizado estudos de um estacionamento subterrâneo no Largo Glênio Peres. Contudo, o Secretário informou que irá tratar internamente do assunto. E sugeriu que o Mercado Público adote a área do Largo para a sua utilização. Também lembrou que agora há a possibilidade da realização de Parcerias Público Privadas, o que poderia viabilizar o uso da área.
Outra reivindicação levada ao Secretário diz respeito ao futuro deck que deverá ser colocado no Largo Glenio Peres, onde atualmente estão as mesas para os clientes que ficam na rua. Pela proposta inicial o deck seria colocado mais afastados dos bares, formando um “corredor” de área livre, indesejável pelos permissionários dos bares, lancherias, padarias e restaurantes. Fortunatti prometeu providências, encaminhando para os canais competentes as solicitações. Mas do tão esperado estacionamento, nada de concreto.

À espera das novidades no entorno

     Outras novidades para o entorno do Mercado que estão por vir: o prolongamento da Avenida Borges de Medeiros, indo até a Avenida Mauá e a criação da Praça Revolução Farroupilha (onde hoje está o posto dos Bombeiros). O que efetivamente andou foi a obra no novo terminal do Trensurb, quase pronta. Outro assunto que foi amplamente ventilado e que envolve, de certa maneira, o Mercado é a Linha 2 do Metrô, cuja estação central sairia do Mercado Público.

COMENTÁRIOS