Especial – 141 anos do Mercado

Especial – 141 anos do Mercado

 

Diariamente o Mercado Público recebe milhares de pessoas. Políticos, autoridades, artistas, intelectuais, donas de casa, anônimos frequentadores ou visitantes de outras cidades, estados e países. Todos procuram os seus encantos, aromas, sabores e até mistérios. E o Jornal do Mercado está sempre lá, para ouví-los e captar suas opiniões sobre este grande patrimônio gaúcho. Em homenagem aos 141 anos do Mercado, completados no dia 3 de outubro, aqui vão alguns destes ilustres depoimentos.

 

 José Cláudio Machado – músico tradicionalista

 

O Mercado Público é um patrimônio fora de série, né? Aquilo ali é um ponto cultural de Porto Alegre, para mim, o coração do Rio Grande. Para mim em matéria de ponto turístico, é ali. O cara encontra de tudo lá, é um mundo a parte.

 

 

 

Wander Wildner – músico

 

Eu ainda freqüento o Mercado, é um dos lugares mais lindos de Porto Alegre. Ainda mais depois da reforma. Acho legal a estrutura dele, um dos lugares mais clássicos da cidade. No começo vinha mais com a minha mãe, na Banca 40, na casa de erva-mate. Meu pai vinha muito ao Naval e ao Gambrinus, acho que pegou o Graxaim, o Treviso. Sempre que eu venho a Porto Alegre, venho aqui, principalmente para comer, é legal pra caramba.

 

 

 

 

Paulo Brossard – ex-ministro da Justiça

 

Desde que eu cheguei em Porto Alegre, antes da enchente, eu compro no Mercado. Acho que aqui sempre se compra coisas novas e de boa qualidade. E o pessoal é amigo, conhecido. Sempre que posso eu procuro ir aos mercados. É uma referência da cultura do povo.

 

 

 

 

 

 

Valter Nagelstein – Secretário da Indústria e Comércio

 

É quase um lugar comum dizer que o Mercado Público é o local mais tradicional do comércio da cidade, do centro histórico. Representa um marco, uma referência.

 

 

 

 

 

 

 

Briane Bicca – arquiteta, Diretora do Programa Monumenta

 

O Mercado vai ter um papel muito importante na animação do Centro Histórico. É importante que ele propicie mais atividades. Já tem as feiras do vinil, do gibi, do brechó. Mas quanto mais ele poder propiciar atividades, mais estará contribuindo para essa animação.

 

 

 

 

 

Mamadou Abdoul Sene – Chef

 

Adoro o Mercado, faço compras lá. Muitos temperos quando eu quero fazer pratos da minha terra, eu encontro lá, e até outros que não tem no Brasil.

 

 

 

 

Bábà Dibba – afro-religioso

 

O Mercado Público é o lugar de troca, um grande escambo, onde se compra de tudo. Ali os negros trabalharam e criaram um depósito sagrado, como o Bará do Mercado, garantindo diariamente o sustento.

 

 

Gabriel Mendo da Cunha

 

Mercado Público de todas as cores e sabores. Histórico, Cultural e Contemporâneo.

De todas religiões, de direita e de esquerda. Mercado Público Central de Porto Alegre.

Mercado Público GRE-NAL, Mercado Público Gaúcho!

Com 141 anos, agora será o MERCADO DA COPA!!!

Feliz Aniversário, MERCADO querido!!

 

 

 

Danúbio Gonçalves – artista plástico

 

O Mercado ganhou vida com a reforma, criou uma circulação muito grande. Era inevitável esta mudança e foi uma mudança para melhor. Dentro do conceito da época é totalmente sofisticado.

COMENTÁRIOS