Espaço alternativo

Espaço alternativo

Com a restauração da estrutura e dos telhados do Mercado prevista para oito meses, permissionários das sete bancas do segundo piso consumidas pelo incêndio propõem instalação provisória no Espaço de Eventos.

 
O projeto propõe que o Espaço de Eventos abrigue cinco cozinhas individuais dos restaurantes Mamma Julia, Sayuri, Taberna 32, Telúrico e Bar Atlântico e um espaço comum de mesas, além de espaços para a Casa de Pelotas e a sorveteria Beijo Frio. Iniciativa da comissão formada pelos permissionários das sete bancas atingidas pelo incêndio de julho, o projeto está perto de sair do papel. Anunciado em 3 de outubro, no ato em comemoração aos 144 anos do Mercado Público, pelo vice-prefeito Sebastião Melo, o projeto estava, até o fechamento desta edição, ainda em análise na Smov (Secretária de Obras e Viação), última secretaria pela qual precisa ser aprovado.

O investimento para a instalação da estrutura é dos próprios permissionários, que esperam logo poder voltar ao Mercado. Sobre as cozinhas, será instalada uma coifa para coletar fumaça e resíduos de gordura, conduzidos por um duto para fora do prédio, para não prejudicar a circulação interna. Pelo espaço reduzido, cada restaurante pretende trabalhar com seus melhores pratos, os “carros-chefes” de cada casa. “Vai ser um espaço gastronômico com o que de melhor tinha lá em cima”, diz Francisco Nunes, proprietário do Sayuri, que está à frente da comissão. O projeto é do arquiteto Teófilo Meditsch, com execução do engenheiro Régis Pegoraro. A instalação da estrutura deve levar 30 dias após a aprovação. A expectativa é de que até o final de outubro as obras já possam ser iniciadas.

Segundo piso

Outra frente de esforço para a recuperação do Mercado é o restabelecimento da energia elétrica no segundo piso. Bancas não atingidas pelo incêndio estão fechadas e sem condições de trabalhar pela falta de energia. Antonio Lorenzi, coordenador de próprios da Smic, informa que esta deve ser a primeira medida a ser executada, com a contratação da empresa, tão logo o processo seja aprovado pela Smov.

 

Primeiro piso

Todas as bancas do primeiro piso estão funcionando, exceto Açougue Padre Pio, Pastelaria Nova Vida, Restaurante Santa Cruz, Sushi Seninha e Temakeria Japesca, que estão em reformas, e Açougue Duarte, Agropecuária Giovanaz e George’s Pastel. Essas três últimas estão localizadas sob o “U” sinistrado (frentes para a Av. Júlio de Castilhos e metade das frentes para Av. Borges de Medeiros e Praça Parobé) e têm acesso apenas pelas portas externas, que permanecem bloqueadas em todas as bancas do “U”, por questões de segurança.  As demais bancas estão recebendo seus fregueses pelo acesso interno do Mercado. Esse transtorno deve mudar em breve, quando tiver início a restauração da estrutura e do telhado do Mercado. Para o início das obras, será construída uma passarela coberta (“bandeja”) para proteger os passantes de eventuais quedas de partes da construção.

 

Restauração

O início das obras de restauração depende da aprovação do Governo Federal, que irá liberar os recursos de R$ 19,5 milhões através do PAC Cidades Históricas. “Tão logo isso acontecer, nós vamos assinar o contrato com as empresas selecionadas e, em seguida, iniciar o trabalho da restauração”, diz Lorenzi, que coordena a comissão de restauração. Essas empresas serão as mesmas que trabalharam na reforma do Mercado nos anos 90, fator que acelerou o processo. Foi preciso apresentar todos os projetos, processos e orçamentos ao Ministério do Planejamento, pois o pagamento dos fornecedores será feito de forma direta. Os documentos estão em análise, e a liberação de Brasília é esperada ainda este mês. “Depois, a outra etapa que vamos começar a pensar concretamente é de uniformizar a parte que não foi sinistrada, no segundo piso, principalmente telhado, substituindo o telhado de madeira por estruturas metálicas”, adianta o coordenador. “Ou seja, fazer na parte não sinistrada o mesmo que vamos fazer na recuperação da parte sinistrada”, numa ação preventiva. Durante a recuperação, as bancas do Mercado vão seguir funcionando normalmente.

COMENTÁRIOS