Eleições 2012: ideias para o Mercado

Eleições 2012: ideias para o Mercado

 

No coração de Porto Alegre, o Mercado Público é referência para visitantes e turistas, centro de expressão cultural e gastronômica, espaço de diversidade e de encontro. Sendo tão central para a cidade, o olhar do poder municipal sobre ele é de interesse dos porto-alegrenses, especialmente daqueles que o freqüentam diariamente. O Jornal do Mercado quis saber como os candidatos à prefeitura de Porto Alegre vêem o Mercado, e quais as propostas que tem para ele.

    

 

Com que frequência você vai ao Mercado Público?

 

 

José Fortunati (PDT1): Para cumprir compromissos oficiais, fazer compras, almoçar ou apenas para tomar cafezinho, pelo menos uma vez por semana vou ao Mercado.

 

Manuela D’Ávila (PCdoB2): Vou ao Mercado regularmente. Mensalmente, compro todos os grãos e produtos macrobióticos no local. É um lugar especial da nossa cidade, cheio de aromas.

 

Adão Villaverde (PT3): Vou sempre que posso e procuro manter certa regularidade, pois é um dos lugares que aprecio muito em Porto Alegre pelo seu caráter histórico, cultural e social, como espaço de convivências das nossas relações em sociedade, e por seu perfil democrático e popular.

 

Roberto Robaina (PSOL4): Eu vou ao Mercado uma vez por semana.

 

Wambert di Lorenzo (PSDB5): Mais ou menos duas vezes por mês. Só compro pescados e frutos do mar no Mercado. Esporadicamente compro frios, temperos e erva à granel, também.  Gosto de tomar café e frequentar o restaurante, mas a dificuldade de acesso para quem vai de carro é um empecilho.

 

Jocelin Azambuja (PSL6): Sempre que possível, em média de 15 em 15 dias. A família semanalmente.

 

Érico Corrêa (PSTU7): Como sou morador do Centro, tenho o hábito de ir ao Mercado com frequencia, praticamente todas as semanas. Também costumo almoçar no Chalé aos domingos.

 

 

 Qual a importância do Mercado para a cidade?

 

 

José Fortunati: O Mercado é símbolo da cidade, referência para compra de ótimos produtos e prestação de serviços, ponto de encontro para quem aprecia a variada gastronomia, um bem cultural e um ponto turístico da cidade.

 

Manuela D’Ávila: Porto Alegre se desenvolveu economicamente a partir do Mercado Público e hoje milhares de pessoas circulam por ali todos os dias. O Mercado é ponto de referência na cidade há muito tempo e deve ser ainda mais valorizado.

 

Adão Villaverde: É um dos nossos cartões-postais. É ponto de encontro das pessoas, local com alimentos saudáveis, regionais, da nossa economia solidária, além de uma variada gastronomia com restaurantes centenários. Seu prédio é um ícone da nossa arquitetura e a Frente Popular valorizou isso restaurando-o na década de 90, implantando uma cobertura que permitiu usufruí-lo em dias chuvosos.

 

Roberto Robaina: O Mercado Público é um patrimônio histórico e cultural de Porto Alegre. É um local de encontro da cidade com seu povo e com a sua história. Isso justifica um maior investimento para que esse local continue a sua trajetória histórica que desde 1869 é ao mesmo tempo comercial e social.

 

Wambert di Lorenzo: O Mercado é um dos pontos principais do nosso “Projeto Renascer”, que visa a revitalização do centro de Porto Alegre. Vamos buscar recursos para revitalizar o centro, restaurar seu patrimônio histórico, fomentar sua vocação para o lazer noturno e cuidar da sua paisagem urbana. Isso, integrado com o novo Cais do Porto, que é uma luta histórica do PSDB e assumida também pelo PRP na nossa coligação. O centro de Porto Alegre será um dos mais importantes pontos turísticos do Brasil.

 

Jocelin Azambuja: O Mercado Público é um centro completo de comércio alimentício, de cultura e lazer. Preços bem acessíveis a todas as camadas da população. Opção variada de produtos com qualidade. Ponto de encontro com amigos, correligionários e entidades. O espaço democrático e cultural da cidade, que preserva nossa história e raízes.

 

Érico Corrêa: O Mercado, além de tradicional local de compras de iguarias e também de bons restaurantes, é um ponto turístico da cidade. Deve, por esta razão, ser bem cuidado e valorizado.

 

 

Quais os seus projetos para o Mercado?

 

 

José Fortunati: Vamos assinar convênio para a instalação de uma escola profissionalizante de turismo e hospitalidade. Projeto de reforma para a Copa inclui pintura, novos equipamentos, iluminação cênica etc. Será aberto até o fim do ano um restaurante âncora nos altos do Mercado e vamos licitar mais quatro espaços comerciais.  Também serão instaladas 33 câmeras para controle e segurança.

 

Manuela D’Ávila: É possível melhorar a estrutura do Mercado, como garantir banheiros bons para visitantes e trabalhadores do local. Vamos apostar ainda em uma divulgação mais ampla da importância e dos atrativos do Mercado. A ideia é assegurar que o porto-alegrense se sinta cada vez mais atraído pelo charme do local, mas também estimular mais visitas de turistas.

 

Adão Villaverde: Ele está incluído no projeto Bela Cidade, para revitalizar o mobiliário urbano e recuperar os passeios públicos. E seu entorno será incluído no Plano Diretor Cicloviário. Vamos embelezar o Centro Histórico e garantir a Porto Alegre o título de cidade compromissada com a acessibilidade para que todas as pessoas desfrutem do belo tecido urbano da capital.

 

Roberto Robaina: Precisamos fomentar ainda mais a ocupação do Mercado Público pelos porto-alegrenses e pelos turistas. Precisamos promover mais atividades culturais e gastronômicas e feiras no local e no seu entorno. O Mercado precisa ser valorizado conforme a sua importância e receber manutenção periódica.

 

Wambert di Lorenzo: Modernização da estrutura e da prestação de serviços. Nosso Mercado tem que ser referência como um dos principais pontos turísticos da país.

 

Jocelin Azambuja: Mantê-lo sempre bem conservado. Como centro histórico e cultural da cidade, desejo utilizar as verbas públicas de publicidade para divulgar na mídia em geral a importância do Mercado Público na vida da cidade e convidar os porto-alegrenses a visitá-lo permanentemente. A verba de publicidade tem que ser para divulgar campanhas educativas e de conscientização da população, não para obras de governo, para isso existe a propaganda partidária.

 

Érico Corrêa: É importante destacar que o Mercado Público é um patrimônio da população de Porto Alegre. Neste sentido, é fundamental que exista uma parceria entre o poder público e os pequenos comerciantes. Deve haver um cuidado todo especial para que ele continue sendo da cidade e não apenas um espaço elitizado.

 

 

O que poderia ser melhorado no Mercado e entorno? (segurança, acessibilidade, limpeza…)

 

 

José Fortunati: A segurança interna está adequada e estudamos a ampliação na parte externa, onde a responsabilidade é da Brigada Militar. Também instalamos câmeras de vigilância que poderão ser ampliadas.  Na acessibilidade já promovemos melhorias e está sendo instalado o piso tátil.  Estamos finalizando estudos para o Estacionamento Subterrâneo e o Metrô que ampliarão o acesso. Sobre a limpeza do entorno, analisamos a possibilidade de uma mudança na limpeza após o horário de carga e descarga.

 

Manuela D’Ávila: Podemos garantir maior limpeza, segurança e melhorar a mobilidade urbana no entorno. O ambiente deve ser permanentemente agradável e seguro. Nesse sentido, temos projetos como a criação de estacionamentos subterrâneos e a Operação Delegada (convênio entre Estado e prefeitura para compra de horas de trabalho de brigadianos, reforçando a segurança da cidade). O Mercado Público também está incluído no programa de revitalização por meio da criação de rotas de inovação, ou seja, o incentivo à vocação econômica e turística de regiões da cidade como o Centro Histórico.

 

Adão Villaverde: A acessibilidade. Quando na presidência da Assembleia Legislativa, nós a tornamos universalmente acessível e faremos isso no município. A limpeza, em que o projeto “Recicla Porto Alegre” vai valorizar a cultura do reaproveitamento do material descartável. E na segurança pública, sob responsabilidade do prefeito, serão coordenadas ações em parceria com o Estado e a União e empregar tecnologias de vídeo e áudio monitoramento.

 

Roberto Robaina: Segurança, acessibilidade e limpeza são problemas gerais da nossa cidade. Sobre segurança, precisamos cobrar do Governo do Estado o efetivo de Policiais Militares que falta em Porto Alegre e rediscutir as funções da Guarda Municipal, mas a insegurança não se resolve apenas com policiamento ostensivo. Precisamos ter políticas públicas de inclusão social, investimentos em educação e esporte. Precisamos melhorar a acessibilidade de toda a cidade. Temos calçadas de péssima qualidade, irregulares e cheia de buracos e um número ainda baixo de ônibus acessíveis. Precisamos colocar em prática um plano de recuperação de calçadas nos moldes da acessibilidade. Sobre a limpeza, é preciso investimentos pesados na área e campanhas educacionais para a população.

 

Wambert di Lorenzo: Precisamos trazer de volta o ponto de taxi do Mercado e ampliar o número de pontos no centro. O centro está abandonado, em particular os entornos do Mercado. Vamos fazer a renovação urbana do centro com iluminação, monitoramento eletrônico e acessibilidade.

 

Jocelin Azambuja: Em primeiro lugar a Segurança e Limpeza permanente dentro e fora. Precisamos torná-lo mais acessível a todos, melhorar os corredores, dar maior acessibilidade, ter espaços na área azul para taxis ou veículos de turismo poder parar e desembarcar turistas que vem a cidade e desejam conhecer o nosso Mercado Publico.

 

Érico Corrêa: Em primeiro lugar, somos contra a privatização que vem ocorrendo de forma acelerada no entorno do Mercado. Estas iniciativas visam garantir lucros para as grandes empresas multinacionais, dificultam a vida dos pequenos comerciantes e afastam a população mais pobre deste importante local da cidade. A prefeitura tem a tarefa de garantir infraestrutura para todos e também a presença da Guarda Municipal para auxiliar a população.

 

 

 

1 José Fortunati é candidato da coligação “Por Amor a Porto Alegre” (PDT, PMDB, PP, PTB, PPS, PRB, PMN, DEM e PTN) / 2 Manuela D’Ávila é candidata da coligação “Juntos por Porto Alegre” (PCdoB, PSD, PSB, PSC e PHS) / 3 Adão Villaverde é candidato da coligação “Frente Popular – Governo de Verdade” (PT, PR, PV, PTC, PRTB, PTdoB e PPL) / 4 Roberto Robaina é candidato da coligação “Aliança de Esquerda” (PSOL e PCB) / 5 Wambert di Lorenzo é candidato da coligação “Porto Alegre para Todos” (PSDB e PRP) / 6 Jocelin Azambuja é candidato da coligação “Renova Porto Alegre” (PSL e PSDC) / 7 Érico Corrêa é candidato do PSTU

 

Fotos: Divulgação

COMENTÁRIOS