Eduardo Stigger, o cozinheiro cinéfilo

“Estou muito triste porque não consegui fazer a maratona do Oscar esse ano. Estou louco para ver ‘Roma’ e fiquei sabendo que ele vai passar aqui no Capitólio”, conta Eduardo Stigger, professor do Curso de Cozinheiro da Faculdade Senac Porto Alegre, que traz refrescantes e deliciosas receitas neste restinho de verão na coluna Cozinhando com o Senac de março.

COZINHANDO COM O SENAC, por Faculdades Senac

 

Natural de Porto Alegre, o docente de 38 anos, fissurado em cinema e apaixonado por gastronomia, faz questão de lembrar dos tempos de criança, nos quais já cozinhava mingaus com os seus irmãos. “Eu sempre gostei muito de cozinhar, desde os sete anos brincava de fazer comidinha”, relembra.

Antes de mergulhar no universo gastronômico, Eduardo dava aulas num curso de inglês, quando resolveu de vez ir a fundo atrás da sua verdadeira vocação: a culinária.

Então com 27 anos, ingressou no Curso de Cozinheiro do Senac em 2008. Na época, o porto-alegrense nem poderia imaginar que, uma década depois, substituiria o seu professor Mamadou Sène, em eventuais aulas no final do ano passado.

“Cheguei à Faculdade em outubro de 2018 e substituí alguns professores, como o Mamadou, que me formou quando fiz o curso. Foi muito significativo para mim, pois o chef é uma referência”, comenta.

Voltando 10 anos no tempo, formado, Eduardo conseguiu emprego como auxiliar de cozinha em um restaurante da capital, o que o motivou a se especializar ainda mais, desta vez no Curso de Gastronomia na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFSCPA).

A formação acadêmica lhe oportunizou, dois anos depois, conhecer a ilha de Fernando de Noronha, onde chefiou um estabelecimento turístico por um ano. “Era bem difícil, enquanto profissional, morar lá, pois a vida do ilhéu não é a mesma do turista. Faltava luz, água, internet e não tinha nem um cinema para ser ver um filme”, relembra.

Após a experiência única e que lhe rendeu intenso aprendizado, Eduardo rumou até Fortaleza, onde também cuidou da cozinha de um restaurante. Foi lá que Eduardo conheceu Lucyanna e ambos tiveram a Lia, a sua filha de um ano e oito meses.

Assim que o profissional retornou ao solo gaúcho, passou por mais alguns trabalhos temporários até ser chamado para ser professor da Gastronomia do Senac. No próximo dia 11, Eduardo terá à disposição a sua primeira turma na Faculdade, para a qual poderá apresentar delícias como estas que você confere a seguir.

 

Ceviche de maracujá

Ingredientes

500 g de filé de tilápia

1 cebola roxa

30 g de pimenta biquinho

1 maracujá

Suco de 1 limão

Sal

Pimenta

Shoyu

Coentro

Azeite

Modo de preparo          

Corte o peixe em cubos, coloque em uma tigela e misture com o suco de limão. Enquanto o suco age sobre o peixe, corte a cebola em juliene. Junte a cebola ao peixe, assim como a pimenta biquinho, o coentro e a polpa do maracujá. Tempere com sal, pimenta e o shoyu e equilibre a acidez do limão com o azeite. Sirva com torradinhas.

 

Salada de avocado e salmão

Ingredientes

150 g de atum fresco

½ cebola roxa

Alface americana

Radicchio roxo

1 avocado firme

1 tomate italiano

1 ovo

Azeite

Sal

Pimenta

Vinagre

Modo de preparo

Lave as folhas de alface americana e radicchio e rasgue-as em tiras irregulares. Corte a cebola e o tomate em juliene e o avocado em cubos e junte tudo, assim como as folhas rasgadas, em uma tigela grande. Tempere com sal, pimenta e azeite e reserve.

Esquente bem a frigideira com óleo. Tempere o atum com sal e pimenta e grelhe os dois lados até dourar, cuidando para não passar do ponto.

Ferva água em uma panela pequena, com sal e vinagre. Quando ferver, faça um redemoinho usando a colher e quebre o ovo no centro. Deixe cozinhar por 4 minutos e retire. Corte o atum em tiras, monte ao lado da salada e coloque o ovo poché sobre o prato.

 

Torta Banoffee

Ingredientes

Base:

240 g de farinha de trigo

1 pitada de sal

1 ovo

100 g de açúcar ou açúcar de confeiteiro

130 g de manteiga gelada cortada em cubos

 

Caramelo:

30 g de manteiga

100 g de açúcar

400 g de leite condensado

Extrato ou fava de baunilha

 

Cobertura:

2 a 4 bananas

300 mL de creme de leite fresco batido em ponto de chantilly

Canela em pó (opcional)

Modo de preparo

Peneire a farinha, o sal e o açúcar juntos. Corte a manteiga gelada em cubos pequenos. Acrescente a manteiga sobre a mistura de farinha e incorpore com as pontas dos dedos o mais rápido que conseguir, até que se forme um farelo. Acrescente o ovo e amasse com delicadeza até formar a massa. Só adicione água se for extremamente necessário.

Faça uma bola com a massa, embrulhe em plástico filme e achate a bola para que fique mais fácil na hora de abrir a massa. Deixe descansar na geladeira por 30 min.

Prepare a massa, forre uma forma de aro removível e pré-asse a massa a 180 °C, até ficar dourada.

 

Caramelo e cobertura:

À parte, derreta o açúcar e a manteiga. Quando estiver atingido a textura de caramelo, adicione o leite condensado misturado com a fava de baunilha ou o extrato. Cozinhe por mais alguns minutos (não deixando engrossar demais). Retire do fogo.

Coloque esse caramelo modificado como recheio-base da torta. Cubra com bananas cortadas em fatias — tradicionalmente, a cobertura é feita com bananas frescas, mas pode utilizar banana passa, bananas flambadas. Decore com chantilly, polvilhe com canela e deixe refrigerado até a hora do serviço.

Fotos: João Rosa

COMENTÁRIOS