HomeEspecial

Depoimentos Ilustres

Depoimentos Ilustres

      São muitas as figuras conhecidas e públicas que freqüentam diariamente o Mercado. E a nossa reportagem está sempre lá para pegar os seus depoimentos. 

  

Anonymus Gourmet, apresentador:  O Mercado é um símbolo vivo de Porto Alegre    

     Jornalista e advogado, Antônio Pinheiro Machado tornou-se popularmente conhecido no estado como o Anonymus Gourmet, personagem famoso na telinha das nossas TVs com suas receitas e dicas culinárias. Pegamos seu depoimento numa de suas passagens por aqui. “No tempo da ditadura tinha um projeto de destruir o Mercado e fazer um estacionamento. Lembro disso bem porque na Folha da Tarde fizemos uma campanha contra isso e Porto Alegre conseguiu salvar o seu Mercado, que é um símbolo vivo. Tem gente que vem simplesmente olhar as coisas, tomar um cafezinho e ir embora. Acho que todas as grandes obras da arquitetura mundial que são vivas e que realmente importam, vão se transformando com o decorrer do tempo. Veja a Catedral de Notre Dame, em Paris. Ela se modernizou com melhoramentos, que não desfiguram a sua essência, assim como o Mercado Público não vai ser desfigurado.”  

 

 

 Maria Thereza Goulart, ex primeira dama do Brasil:  A anistia do Jango chegou muito tarde.  

     Viúva do ex-presidente João Goulart, acompanhou toda a crise política que o envolveu, desde a tentativa de golpe de 1961 até 1964, quando foi deposto. Na época, para Maria Tereza, uma jovem e bela primeira-dama, iniciava-se um longo período de exílio, de mudanças e até de ameaças. Vivendo entre Uruguai, Rio de Janeiro e Porto Alegre, onde, mais tarde, finalmente estabeleceu âncoras. “Adoro Porto Alegre, saí do Rio, estava cansada de lá. Aluguei um apartamento aqui, onde me criei e estudei. Fico mais no Rio porque minha filha mora lá, para fazer companhia, tenho duas netas. Sempre vinha ao Mercado, agora venho mais seguido. A gente almoça aqui de vez em quando, tomar uns drinques, faço compras, quase tudo, queijo, carnes, muito boas. É muito simpático. Aliás, todos os meus amigos lá do Rio quando vêm a Porto Alegre sempre recomendo que venham aqui no Mercadão, adoram”.

 

 

Tânia Carvalho, apresentadora: O Mercado é o coração pulsante de Porto Alegre.  

     Natural de Bagé, Tânia começou sua carreira na área de comunicação em 1972, como primeira apresentadora do Jornal do Almoço, na então TV Gaúcha, atual RBS TV, onde ficou por quatro anos. Consagrada como uma das mais populares comunicadoras do estado passou por várias emissoras de rádio e tv, principalmente em telejornais. Atualmente dedica-se exclusivamente à Gaúcha AM/FM e à TVCOM. “O Mercado é tudo. Em qualquer lugar do mundo que a gente vá em qualquer cidade ou país, se busca o mercado porque ali está a grande  identidade da cidade. Então, o Mercado é o lugar mais importante de Porto Alegre, que eu amo. É onde mais me encontro e me sinto bem. Eu amo vir ao Mercado, ele é a alma, o coração pulsante, a vida, o centro de Porto Alegre”, disse ela.  

 

 

Luciano Sampaio Maia, músico, Grupo Quartchêto: Dentro do Mercado tem um pouquinho do mundo. 

     Com 10 anos de carreira, o Quartchêto é uma das gratas revelações da última década na música do Rio Grande do Sul. Inovador, o grupo tem uma formação inusitada, unindo percussão, violão, acordeon e trombone, trabalhando com ritmos regionais, como o chamamé e a chacareira. O Quartchêto reveste seus arranjos com elementos jazzísticos, o que lhe confere características novas. Luciano Sampaio Maia, um dos músicos do grupo, disse: “O primeiro contato com o Mercado foi por curiosidade. Eu morava no Centro, na Riachuelo e um dia saí para passear e conhecer a cidade e vim descendo, olhando e acabei caindo aqui no Mercado. E desde logo me identifiquei, gosto muito do lugar. Tudo o que eu procurei aqui sempre achei, temperos, uma infinidade de coisas.”

  

 

Beto Bruno, músico: um Cachorro Grande no Mercado.  

     “Eu como aqui no Gambrinus, ou ali em cima (Marco Zero), num self service que eu acho legal e tem um japonês (Sayuri) sensacional. Depois de terminoar de comer, vou ali para os peixes, que para mim é o grande lance. Mercados do Brasil? O de São Paulo é um absurdo. Só que eles comem muita mortadéééla, meu! (imita o sotaque paulista). O de Fortaleza dá vontade de não sair de lá, até porque o ar condicionado é muito bom, quando sai dá vontade de morrer, então isso também influência muito. O mercado de Florianópolis também conheço, sou fã. Quando estou por lá, sempre vou porque é barato e tem tudo. Na verdade tem mais que aqui, mas a gente entende pois é uma cidade que tem praia.

 

 

  Carlos Urbim, jornalista e escritor: Porto Alegre não pode viver sem seu Mercado.    

     Natural de Santana do Livramento, Carlos Urbim, jornalista e escritor, foi Patrono da Feira do Livro em 2009.  Reside em Porto Alegre desde os 19 anos. Disse ele: “O Mercado Público está entranhado na história de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul, é um monumento ao comércio da cidade, uma referência cultural. É proibido o turista, interessado em conhecer Porto Alegre, não passar e visitar o Mercado. Eu vivo há 44 anos aqui, e sei da importância do Mercado para o desenvolvimento da cidade. Sua história se confunde aos últimos 141 anos da capital”.  

 

 

 

  Adeli Sell, vereador: O Mercado é história de amor pela cidade.

     “O Mercado Público é a catedral da diversidade de Porto Alegre. É aqui onde as pessoas e os visitantes se encontram. É a pluralidade e o espaço mais democrático da cidade. É também um pólo de atração para o visitante, pela arquitetura que foi preservada e recuperada ao longo dos anos e agora, com os deques no Largo Glenio Peres, vai dar um aspecto de modernidade e embelezamento, se somando à restauração.” 

 

 

 

 Arthur de Faria, músico: É um privilégio ter um lugar como o Mercado.     

     Freqüentador do MP desde criança, Arthur de Faria foi um dos músicos gaúchos que estiveram tocando no Mercado no projeto Bohemia Instrumental. Aqui o depoimento dele: “É um dos lugares que mais gosto da cidade, vinha na Banca 40 com o meu avô. E sigo vindo. Faz três anos que eu trabalho no centro de Porto Alegre e uma das grandes alegrias de trabalhar aqui é que eu posso ir no Mercado seguido, pelo menos uma vez por semana. Todo mundo que vem a Porto Alegre eu digo para vir aqui”.  

Newer Post

COMMENTS