Depoimentos Ilustres

Depoimentos Ilustres

 

Eles são muitos e estão diariamente no Mercado: os ilustres visitantes. Em compras ou a passeio, alguns mais assíduos, outros menos, mas com um ponto em comum: a admiração pelo Mercado.

 

Lobão, cantor e compositor: Eu encho a burra no Mercado

 

Sempre que está em Porto Alegre, o polêmico Lobão visita o Mercado, onde “enche a burra”, ou seja, enche as malas de compras. “Aqui no Mercado faço cabelo, barba e bigode. A gente compra um monte de coisas, todos os artigos possíveis e imaginários. Erva mate, para tomar chimarrão em São Paulo – minha mulher é gaúcha. A gente faz um rancho para levar”, diz. O músico também lembrou os restaurantes “japas” do Mercado (comida oriental), os quais considera muito bons.

 

 

 

 

 

 

 

Ernesto Fagundes, músico: O Mercado é a identidade de Porto Alegre

 

Um dos famosos Fagundes, família de tradicionalistas e músicos do Rio Grande do Sul, Ernesto Fagundes participou das comemorações dos 142 anos do Mercado. Frequentador assíduo, compra desde erva mate até um espinhaço de ovelha. O músico assim define este patrimônio público gaúcho: “É a identidade da nossa capital, que é feita de pessoas de todos os lugares da América Latina. Aqui a gente encontra argentinos, uruguaios, chilenos, baianos, do nordeste, de São Paulo. E também do Alegrete, de Uruguaiana, Bagé e porto-alegrenses. É o símbolo da hospitalidade dos pampas”.

 

 

 

 

Luiz Antonio Assis Brasil, escritor e secretário estadual da cultura: O Mercado Público está na minha vida

 

Dono de uma das obras mais densas da literatura gaúcha, o secretário diz que tem uma relação desde pequeno com o Mercado, quando ia comprar fumo em corda para o seu pai, que fumava palheiro. Enquanto crescia, passou a desenvolver o hábito de comprar especialidades. Diz ele: “O Mercado está na minha vida, não só na minha, mas na dos porto-alegrenses, desde que me conheço por gente. Um lugar de compras, onde a gente encontra os amigos e tem contato com a cultura na sua expressão mais genuína”.

 

 

 

 

Regina Becker, primeira-dama de Porto Alegre: O Mercado é referência de boas compras

 

Regina revela-se uma frequentadora de muitos anos do Mercado, com o qual tem uma “estreita relação”. Há tempos realizou uma exposição, através da Secretaria Especial dos Direitos dos Animais, SEDA, para sensibilizar o público sobre a questão da adoção de animais – um sucesso completo. “O Mercado é um lugar onde encontro os produtos que eu gosto e faço questão de manter na nossa geladeira. Peixes, iguarias, queijos especiais, azeitonas, frutas, legumes, pães integrais – a gente dá muito valor a produtos integrais. A melhor erva mate é daqui. Temos o hábito de fazer chás de frutas secas e só aqui tem, porque a venda é a granel, que não existe mais”.

 

 

 

Eduardo Beltrame, chef paulista: Sou um apaixonado pela gastronomia gaúcha

 

Como gastrônomo, ele viaja por todo o Brasil, fazendo cursos, palestras e participando de eventos. Beltrame é conhecido nacionalmente, fazendo programas de culinária em canais de TV, como a Band, Rede TV Aparecida e TV Século XXI. Acha o nosso Mercado bem parecido com o de São Paulo, apesar deste último ser bem maior. Aqui fez questão de registrar a simpatia gaúcha, com a qual foi recebido. “Foi muito bacana e o pessoal, muito simpático, receptivo. E isso é que é importante. Hoje em dia tem muita concorrência, preço, então você tem que conquistar o cliente pela simpatia. E vi muito sorriso hoje aqui”.

 

 

 

Kenny Braga, jornalista e comentarista esportivo: O Mercado e o Sala de Redação têm muitas coisas em comum.

 

O polêmico Kenny Braga, um dos mais acalorados participantes do Sala de Redação, da Rádio Gaúcha, esteve no Mercado, em uma das edições especiais do programa. E evocou a lembrança de amigos. “Eu convivi muito tempo aqui com meu amigo Glenio Peres. Ele faz parte da memória desta cidade. Foi um político brilhante, um homem interessadíssimo nas coisas da sua cidade. E quando o Glenio estava presente, eu tinha certeza que haveria um bate papo inteligente. E o Sala de Redação, que é um programa feito de discussões e de informações, precisava estar aqui no Mercado”.

 

 

 

Danrlei de Deus Hinterholz, ex-goleiro do Grêmio e deputado estadual: Venho no Mercado e acabo comprando mais do que preciso

 

Conhecedor de vários mercados no Brasil e no mundo, Danrlei diz que o nosso não fica nada a dever para nenhum outro. Frequentador assíduo, diz que o único problema é que, toda vez que vem, acaba sempre comprando a mais. “Adoro o Mercado Público, existem alguns produtos que você acaba encontrando só aqui. Então, é frequente a minha vinda aqui. Os frios são perfeitos, cortados no tamanho que eu gosto. E eu, que aprecio uma boa comida, acabo sempre vindo porque a gente sabe que no Mercado se encontra tudo que é preciso.”

 

 

 

Cristina Ranzolin, apresentadora do Jornal do Almoço/RBS TV:  O Mercado é a cara de Porto Alegre

 

“Venho no Mercado muito menos do que eu gostaria, por pura falta de tempo. Mas cada vez que eu venho fico impressionada”, disse ela. Cristina citou vários aspectos que tornam o Mercado irresistível, como os sorvetes, os peixes, frutas, frios e pães. “É um lugar especial, a gente não pode ficar muito tempo longe dele. Estive visitando a Temakeria, já estou saindo com uma sacolinha aqui com sushis para o meu almoço. É fantástico.”

 

 

 

 

 

 

Victorino Chermont, repórter esportivo da Fox Sports do Brasil: O Mercado é uma característica cultural da cidade

 

O profissional esteve em Porto Alegre para a cobertura de um jogo pela Libertadores, entre SC Internacional e Once Caldas. Chegando, foi direto para o Mercado. “Acho os mercados públicos muito interessantes, são lugares que me atraem. Não são todas as cidades que conseguiram reunir suas características culturais e manter lugares como este, com bons restaurantes e cultura popular. Aqui almocei no Naval, comi um entrecot e dei uma circulada. Já fiz matéria aqui anteriormente sobre o Mercado, para mostrar alguma coisa da cultura regional.”

 

 

 

Jair Kobe, o popular humorista Guri de Uruguaiana: Já vivi muito o Mercado e não tanto quanto eu gostaria

 

“Acredito que o Mercado tem a identidade gaúcha, porto-alegrense, e poderia, talvez, ser mais explorado nessas questões culturais, com mais shows, mais coisas envolvendo o Mercado, resgatando um pouco mais esta beleza, esta arquitetura, este entorno. Venho no Mercado desde que me conheço por gente. Ele é uma referência: tudo está em torno dele”. Ele ressalta também a importância do resgate do Centro Histórico e o papel, fundamental, que o Mercado Público pode representar nele. “Com essa cara nova que o Centro está ganhando, a gente vem adquirindo segurança, iluminação, calçadas legais. A tendência é se aproximar mais do Mercado”.

 

 

 

Vanderley Luxemburgo, técnico gremista: Fiquei surpreso com o Mercado

 

O treinador do Grêmio almoçava com a direção do clube no Gambrinus, quando foi abordado por nossa reportagem. Apesar de várias passagens por aqui, ele ainda não conhecia o Mercado. Mas o importante é que gostou do que viu. “É a primeira vez que eu venho. Combinamos de vir almoçar aqui. Agora vou conversar com a família para vir também. Lá em São Paulo tem o Mercadão, Minas também. E eu gosto muito desse ambiente assim, muito popular, povão. Isso é legal, tem que estar em contato com as pessoas. Fiquei surpreso, porque de fora você não imagina como é por dentro”.

 

 

Fotos: Fabício Scalco e Letícia Garcia

Recentes
Antigos

COMENTÁRIOS