IGTF – Cultura gaúcha preservada e divulgada

Cultura Gaúcha, por Letícia Garcia

 

Rodi Pedro Borghetti, presidente do FIGTF, fala sobre identidade gaúcha e as ações da Fundação para difundir a cultura no estado.

 

Foto: Letícia Garcia

A Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore é um órgão vinculado à Secretaria da Cultura. Fomos criados em 1974 por ideia de Glauco Saraiva, um dos fundadores do tradicionalismo gaúcho como instituição. Buscamos sempre a identidade do gaúcho – nós, que somos provindos de uma série de etnias que formaram nosso povo, desde o índio, o espanhol, o português, o negro, os povos das imigrações, cada um deixando um pouquinho da sua tradição e folclore para formar a nossa.

Foi Glauco Saraiva, com Luiz Carlos Barbosa Lessa e Paixão Cortes, especialmente esse trio, que teve a feliz ideia de criar o 35 Centro de Tradições Gaúchas (CTG). Eles tiveram influência do Partenon Literário, primeiro órgão de elite que deu força às manifestações culturais do nosso povo, que eram, de certa forma, desprestigiadas. Mas a cultura popular vai de roldão, vai se formando pelos fatos folclóricos, tradições, usos e costumes. Nós tivemos muita influência das virtudes do homem do campo, de seriedade, amizade, lealdade, do “fio de bigode”, da palavra. Essas coisas foram sendo cultivadas, foram se enraizando no povo gaúcho, e se conseguiu sair daquela primeira impressão do gaudério, do homem que vivia no campo sem eira nem beira, daqueles primeiros povoadores aqui do estado que eram, de certa forma, desprezados. E, como que por um fenômeno, as virtudes desse mesmo homem hoje são um gentílico para nós. Quem no Rio Grande do Sul não gosta de ser chamado de gaúcho?

 

Ações do FIGTF

Os principais eventos em que estamos diretamente imbuídos e incluídos são a Semana Farroupilha, a Expointer, onde nós fazemos toda a parte artística e cultural, e a Feira do Livro. Também temos uma atividade forte na pesquisa dos festivais. Agora, por exemplo, estamos fazendo um estudo sobre os 40 anos dos Festivais de Música. Os festivais, iniciados pela Califórnia da Canção Nativa de Uruguaiana, enriqueceram barbaramente o acervo de boas músicas representativas do Rio Grande do Sul. Nós temos uma influência muito forte da Argentina e do Uruguai, mas eles também se servem da nossa música, uma integração muito interessante. A música é um dos elementos que mais identifica o povo gaúcho.

Dentre as obrigações e objetivos do Instituto está colaborar com o Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) na resolução a problemas relacionados com o estado, de um modo geral. Já presidi Congressos Tradicionalistas Gaúchos, um dos maiores eventos do MTG. Também estamos muito vinculados ao ENART, Encontro de Arte e Tradição.

A cultura gaúcha não é estanque. Ela tem continuidade, e a cada ano, a cada dia, a cada hora aparecem coisas novas dentro da cultura gaúcha. Mas a gente tem o básico, que está aí e está sendo respeitado.

 

Acervo do FIGTF

O acervo do FIGTF é composto de cerca de 22 mil documentos e pesquisas sobre cultura gaúcha. São cerca de cinco mil livros, seis mil discos, pesquisas e um pequeno museu com indumentárias da época farroupilha (1835-1845). Informações sobre pesquisa ao acervo: (51) 3228.1764

 

 

COMENTÁRIOS