Cuidados no Bará

O Monumento ao Bará do Mercado, que integra o Museu de Percurso do Negro, passou a contar com uma fita que delimita seu espaço desde o começo de agosto, tudo para preservar a obra.

Bará do Mercado

Foto: Gabriela da Silva

O centro do Mercado é parte importante para as religiões de matriz africana, como umbanda, nação e candomblé, e seu ponto mais emblemático é o orixá Bará, assentado no cruzeiro central do prédio. Ponto de rituais e manifestações religiosas, recebeu em 2013 um mosaico para marcar o espaço, que integra o Museu de Percurso do Negro em Porto Alegre.

Desde o começo de agosto, uma fita vermelha passa a delimitar o mosaico do Bará. A iniciativa do cercamento foi feita pela DMIC, com o objetivo de proteger a mandala que estava se deteriorando devido aos carrinhos com mercadorias pesadas que passavam em cima do mosaico regularmente.
Há 15 anos promovendo axés no Mercadão, Pai Paulinho do Xoroquê, babalorixá do candomblé, comemora a iniciativa. Dia 16 de agosto ele promoveu um festejo ao orixá Obaluaê, correspondente a São Lázaro na religião católica. O evento aconteceu na parte central, no Bará, e quem passou por ali entre 7h45 e 17h30 pôde receber bênçãos com pipoca, fitinhas para proteção e energias positivas.

COMENTÁRIOS