Contrato emergencial com empresa de limpeza deve ser renovado

Pagamento da empresa de limpeza está sendo feito pela prefeitura e contrato deve ser renovado por mais três meses. Após mais um episódio de lixo acumulado e falta de limpeza no Mercado, situação é normalizada.

 

No sábado de 26 de janeiro, mercadeiros, visitantes e frequentadores se depararam com o acúmulo de resíduos na sala de lixo, que transbordou para a calçada externa do Mercado e esteve exposto durante a manhã. Uma sucessão de problemas desencadeou a situação, envolvendo o atraso da prefeitura no pagamento da empresa terceirizada responsável pela limpeza por questões de documentação e o bloqueio do acesso para o caminhão do DMLU por carros estacionados.

Devido à quebra contratual das duas empresas de limpeza anteriores — em maio passado, o atraso no pagamento de outra empresa também levou ao não recolhimento do lixo —, a prefeitura fez um contrato emergencial de três meses com a Brucke. Para essas situações, a Secretaria da Fazenda exige uma documentação ampla e detalhada, que é analisada para liberação do pagamento. Segundo Denis Carvalho, coordenador de Próprios Municipais da DMIC/SMDE, que administra o Mercado, a empresa inicialmente apresentou os documentos, mas a Fazenda pediu correções e não teve resposta. “A empresa foi questionada várias vezes para apresentar notas e acabou ficando dois meses em atraso, outubro e novembro, nesse trâmite da Fazenda”, explica. Com o pagamento em atraso, a Brucke reduziu o quadro de funcionários de limpeza no sábado.

Somado a isso, conforme apontado por Denis, o caminhão de coleta do DMLU não conseguiu acessar a área de recolhimento de resíduos porque havia carros estacionados no local. Assim, o lixo ficou exposto e acumulando por toda a manhã. O retorno do DMLU foi solicitado, o que aconteceu no início da tarde, quando o lixo foi recolhido.

O problema, ressalta o Denis, foi por tramitação de documentos, e não por falta de recursos. “Temos recursos do Funmercado para isso e o PL já estava aprovado para o ano inteiro, R$ 650 mil destinados à prestação de serviços, como segurança e limpeza. Então o recurso sempre esteve garantido.” A situação do pagamento em atraso está sendo solucionada. “A empresa vai receber os meses de outubro e novembro e a tramitação de dezembro já está encaminhada, assim como a renovação do contrato”, conta o coordenador. Ainda emergencial, o contrato será válido por mais três meses.

COMENTÁRIOS